Por minha vingança - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Por minha vingança

Por minha vingança

09/07/2011



Por minha vingança
Gênero: Drama
Classificação: Livre
Baseado em Naruto

Por minha vingança


A luz de chakra emanava entre meus dedos. O sangue dela escorria em meu corpo. A voz de desespero do melhor amigo dela, ecoava entre as montanhas de pedra.

O nosso melhor amigo. Quem eu considero como um irmão, gritava o nome daquela que já não estava mais viva.

Em meu rosto, uma lágrima caia. Não sei por que me importo tanto.

Afinal eu os deixei em busca de poder. Tirei a vida de quem me amava, por causa da minha vingança. Escolhi o caminho mais escuro para satisfazer meu desejo.

O ódio e o rancor consumiam meu corpo. Jamais esquecerei a cena.

Ela estava linda. Seu belo cabelo rosado movia- se com o sopro do vento. Seus olhos verdes esmeralda transmitiam dor. A pele clara de pêssego dela brilhava com a ajuda do sol.

Minha linda cerejeira desabrochou numa linda flor.

Ela me implorava para voltar à vila. E decidida, insistiu que lutaria com todas as forças para me convencer. Tiraria do meu ser a ambição crescente.

Eu a avisei. Disse que se impusesse no meu caminho, eu a mataria. Não me importava quem fosse. Se ficasse ameaçasse meu sonho, eu destruiria.

Foi o que fiz, ao perceber que ela não desistiria. Utilizei minha melhor técnica. Os raios poderosos do meu chakra perfuravam aquela pele macia e rasgavam a carne daquele corpo.

Só duraram alguns segundos. E enquanto aquele sangue jorrava, percebi a presença dele. Ele me encarava com ódio. As lágrimas dele se fundiam com o sangue espalhado pelo chão.

Ele clamava por ela. Mas era em vão...

Eu a matei. Minha flor de cerejeira esta morta. Nem ao menos consigo pronunciar seu nome.

A lembrança que tenho dela, relampeja em meu coração. É como uma espada sendo cravada em meu peito.

- Esse é o nosso destino... Não é mesmo, Naruto? Matar uns aos outros... – falei sussurrando.

Ele me olhava, espantado com a minha frieza. Seu olhar cheio de culpa e tristeza diziam, “Vou te matar!”

Mas eu não ligava. Mataria mais um amigo se fosse necessário. Por poder, pela minha vingança, eu mataria outra vez.

- Vamos acabar logo com isso! – provoquei. Quanto mais cedo acabar melhor.

O chakra avermelhado ao redor dele brilhava intensamente. Seria uma batalha sem fim. Mas eu estava pronto. Não o deixaria vivo desta vez.

Minhas lágrimas rolaram pela última vez, ao vê-lo colocar o corpo dela, gentilmente encostado em uma árvore. As folhas voavam ao redor daquele corpo sem vida.

Enquanto corria em direção ao meu novo alvo, o vento secava meu choro e levava embora minha culpa.

Sammysam Rosa

Escrito por:

Sammy. Casada e apaixonada por livros. Gosto de literatura policial, suspense e terror. Típica pisciana, sonhadora e curiosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!