A fazendeira e o ladrão #3 - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: A fazendeira e o ladrão #3

A fazendeira e o ladrão #3

23/11/2011



O Príncipe das Estrelas -A Fazendeira e o Ladrão
Classificação: 16 anos
Gênero: Romance, Drama
Baseado em Harvest Moon DS Cute

Capítulos Anteriores:







O Príncipe das Estrelas
A fazendeira e o ladrão



Capítulo Três


O dia mal havia nascido e a fazendeira já se encontrava com um grande desafio nas mãos, reunir mais cinqüenta e nove duendes não seria fácil, mas esse era o preço se quisesse salvar Harvest Goddess.

Indo até o baú das ferramentas, a jovem retira sua enxada a fim de arar a terra da fazenda.

O relógio marcava oito da manhã, o sol brilhava intenso para o dia, típico da estação das flores. A Primavera era a estação que Claire mais gostava, aquele aroma de rosas era trazido com a brisa deixando tudo mais agradável.

Ao terminar de arar um bom pedaço de terra, a jovem observa pensativa. Tinha a missão de trabalhar duro e prosperar, para isso a plantação iria bem a calhar.

Estavam disponíveis sementes de Morango, Pepino, Nabo, Batata e Repolho. Se tudo desse certo poderia comprar uma de cada, e com sorte poderia vender o fruto de seu trabalho por um bom dinheiro.

Claire tinha inúmeros planos para a fazenda, seu principal objetivo era construir uma casa maior e mais confortável. Deseja ter sua cozinha logo, para que assim pudesse voltar a cozinhar.

Como tinha começado há pouco tempo em Forget-me-Not, a moça possuía um lar modesto, apenas o quarto e o banheiro. Ela precisava ir comer na Pousada da cidade, mas não que isso fosse de todo o ruim, afinal Ruby a dona do lugar cozinha muito bem.

Eram tantas as coisas em mente, que nem passou por sua cabeça que era manhã de terça-feira, ou seja, nada de sementes!

Claire costumava comprar tudo que precisasse no Mercado de Mineral Town, onde sua melhor amiga era a proprietária. Karen administrava o lugar, mas em todas as terças era sua folga, mesmo a amiga dizendo que se Claire precisasse ela abriria nesse dia.

“Não posso deixá-la perder um dia como esse por minha causa”, pensou a fazendeira consigo mesma.

Sua única possibilidade era ir até Vesta, sua vizinha dona de um grande rancho e que por sorte apenas vendia sementes. No entanto, Vesta somente abria às quatro da tarde, deixando a jovem com um grande tempo livre.

Já passavam no meio dia quando Claire terminou de limpar uma boa parte da fazenda. Teria um grande espaço para a plantação. Com horas ainda de sobra, a fazendeira decide por passear na cidade, talvez fosse fazer uma visita a Guts e ver como ele estava.

Saindo da fazenda, a moça segue até o Lago Sagrado, a tarde estava prazerosa, o sol não estava tão quente como o espera e a brisa vinda das arvores davam um ar fresco.

A Árvore dos Espíritos que Guts comentou ficava perto do lago e já que estava ali, por que não fazer uma visita?

Claire observou bem o lugar, o lar dos Sprites era grande, a mais bela das arvores, com as folhas mais verdes. Seu troco tinha um marrom vivo, como se toda ela esbanjasse energia.

Surpresa por estranhamente conter uma porta, Claire fica receosa de bater, mas sua curiosidade estava atiçada e quando menos esperou se viu dando o “toc toc”.

“Esta aberta”, concluiu ela a girar a maçaneta dourada.

- Guts? Você esta ai? – perguntou à loira, seus orbes azuis observavam curiosos era a primeira vez que estava entrando dentro de uma árvore mágica.

Havia uma espécie de bancada no interior do lugar, e uma escada que provavelmente dava para o topo.

- Estou aqui Claire!

A voz vinha debaixo da bancada, a jovem se arcou podendo ver o pequeno em posse de livro grosso.

- Precisa de ajuda? – perguntou ela.

- Oh não! Creio que já esta tudo arrumado! – arrumando seus óculos, Guts da um sorriso singelo a sua salvadora.

- Sente falta deles não é? – percebendo como Guts tinha uma expressão tristonha, ela tenta animá-lo. – Prometo trazê-los o mais rápido possível!

Sem jeito para responder, o duende recorda o quanto Goddess confia na jovem. A amizade que tinha pela humana, era forte e Guts acredita que ela realmente é a pessoa certa.

- O que tem naquele jarro?

Claire não o notará quando entrou, o que era estranho, afinal o objeto tinha a mesma coloração do interior da árvore, apenas com diferença dos detalhes em rosa, formando um lindo desenho rústico.

Algo mexia dentro do jarro, deixando garota e duende assustados. Um som agudo podia ser ouvido saindo dele. Pequenas mãos seguravam a borda, uma chupeta ia surgindo e dois pares de olhos redondos brilhavam ao encontro das pessoas que tremiam de medo.

- Baby! – exclama Guts ao reconhecer aqueles orbes.

O frágil duende ria da situação, parecia que sua diversão era assustar quem se aproximasse do jarro mágico, objeto esse que o impediu de desaparecer com a magia de Witch. Mais um Sprite estava salvo, deixando Claire satisfeita.

Um comentário:

  1. Obrigada pelo elogio!!! Se você pintar, me manda uma foto ou um scan do desenho (se você puder, é claro) eu iria gostar muito de ver como ficou!!!

    Mil Sweetkisses ♥
    http://docesonhodemenina.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!