Um dia de Natal - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Um dia de Natal

Um dia de Natal

25/12/2011


Um dia de Natal
Classificação: Livre
Gênero: Romance
Baseado em Bleach


Um dia de Natal
por Sammy


A jovem esperava ansiosa. Seus olhos brilhavam fixos na janela, lá fora a noite era fria, a neve caia formando um tapete branco no jardim.

Ela estava enrolada em um cobertor grande demais para seu corpo pequeno, os coelhos perfeitamente bordados eram seus favoritos.

- Ainda esperando? – pergunta o rapaz mal humorado.

Ele deixou uma caneca de chocolate quente na mesa esperando que a jovem pudesse acompanhá-lo. No entanto, a morena se mantinha imóvel, apenas a espera.

- Rukia, já passa da meia noite! É melhor você ir dormir! – exclama ele preocupado com a insistência da morena.

O rapaz suspira pensativo, encosta a cabeça no alto do encosto do sofá, enquanto retira as franjas alaranjadas dos olhos.

“Eu não devia ter contado aquela história para ela” – reclamou o rapaz para si mesmo.

Talvez se não tivesse contatado poderiam ter tido um natal normal, como qualquer um em sua cidade. Mas normal, não era a palavra certa para Kurosaki Ichigo, a começar pela jovem shinigami que vivia com ele e sua família.

Ichigo deixou esses pensamentos de lado, ele não queria que nada estragasse aquela noite mágica, afinal é Natal, uma data especial, repleta de harmonia e companheirismo.

- Ichigo, ele esta atrasado! – reclamou à baixinha.

- Rukia... - começou ele, mas parou por um momento.

Ichigo não podia falar a verdade, isso provavelmente a magoaria e o Morango não queria vê-la triste no Natal. Ele cometeu um erro ao falar da história do Papai Noel para Rukia, afinal como imaginar que justo ela acreditaria em um conto infantil?

O rapaz contou-lhe que na noite de Natal, São Nicolau vinha entregar presentes a todos àqueles que haviam sido bonzinhos no ano em questão. O velhinho chegava na companhia  de sua inseparáveis renas, sempre em posse de o seu saco vermelho lotado de felicidade e brinquedos.

- Como ele é? – pergunta Rukia curiosa.

- Quem? – responde Ichigo com outra pergunta, sua mente vagava nas lembranças.

- O Papai Noel!

Encarando a jovem, Ichigo se perde na imensidão daqueles orbes exóticos, nem azuis, nem violeta, mas uma mistura de ambas as cores. Aqueles pares brilhavam de encontro ao castanho de seus próprios olhos, deixando o Morango encabulado.

- Bem... – começou ele – Ele tem um aspecto gentil, barba branca e sempre aparece dizendo Hoh, Hoh.

Rukia ouvia com atenção, sua pele de marfim era iluminada pelas luzes dos pisca-piscas da árvore da família Kurosaki.

- Ele é um pouco rechonchudo sempre sai de vermelho, com um gorro da mesma cor.

A morena imaginava o bom velhinho, deixando sua curiosidade ainda mais aflorada. Ela correu de encontro a janela, quem sabe ele estivesse perto.

.

As horas foram passando, a Kuchiki começava a dar sinais de cansaço e sono. Ichigo esperou paciente, não a deixaria sozinha. Já passavam das três da manhã quando Rukia finalmente se deixou levar. Ela dormira debaixo da janela, o ruivo a pegou no colo, aquele corpo frágil e belo, de sua doce menina.

Por mais esquentada que ela fosse, Ichigo sabia o quanto Rukia era carinhosa, e isso o conquistou, fora o grande laço que os unia, tudo o trazia para mais perto dela. Ela havia sido sua salvadora, aquela que secou sua chuva interior. Apaixonou-se por ela, e os meses que passaram separados apenas contribui para que esse amor florescesse ainda mais.

Como já era muito tarde, Ichigo a levou para seu próprio quarto, não queria acordar as irmãs onde Rukia dormia todos os dias. Ele acomodou a morena na cama, cobrindo-a com o cobertor de coelho. Ele sorriu ao perceber a face serena que Rukia exibia.

Desembrulhando um papel vermelho, Ichigo abre uma caixa de veludo, expondo um belo colar dourando, o pingente em forma de coração levava o nome Rukia.

- Feliz natal Rukia!

Prendendo o feixe do colar, Ichigo deixa este deslizar no colo da jovem. Dando-lhe um beijo na testa, o rapaz adormece ao pé da cama, zelando por sua princesa.
  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!