Sem Palavras - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Sem Palavras

Sem Palavras

23/01/2012


Sem Palavras
Classificação: Livre
Gênero: Romance, Drama (Oneshot)
Baseado em Bleach

*Capítulo Único


Sem Palavras
por Sammy



Kurosaki Ichigo esperava que os shinigamis atendessem seu pedido. Mesmo tendo sido um inimigo e causado tanta dor, Ginjou merecia um enterro digno e principalmente na Terra. O substituto de shinigami se importava com esta questão e esperava ter uma resposta positiva de Yamamoto e os demais capitães. Eles decidiram fazer uma reunião as presas, iria ser votado o pedido de Ichigo, e este aguardava do lado de fora a conclusão.

Entediado com a demora, o Morango resolve gastar seu tempo caminhando pela Soul Society, talvez fizesse uma visita a Renji, mesmo com a rivalidade, ambos eram bons amigos e o tempo longe, Ichigo percebeu que sentia falta de todos ali. Ele construirá amizades fortes e estava grato por todos terem passados seus poderes, para que ele finalmente pudesse voltar a ser um shinigami.

No entanto havia uma única pessoa que Kurosaki Ichigo, queria antes de qualquer um, poder conversar. Ela era a causa de seu sofrimento durante aquele ano, sentira tanta saudade, que seu coração clamava dia a pós dia a presença daquela baixinha. Ichigo não admitia, mas ao caminhar pelo chão de mármore da Soul Society, a imagem de Rukia não saia de sua cabeça. Quanto tempo não sentia aquele perfume floral que emanava da pele branca da morena, os olhos violeta, tão vivos e brilhantes, que faziam todos os problemas dele desaparecer, Rukia era especial. Ambos tinham um grande laço que os unia e Ichigo sabia que já passava da amizade, o tempo longe confirmou sua suspeita, ele não sabia quando ao certo aconteceu, mas o sentimento cresceu e hoje Rukia era parte de sua vida, a pessoa mais importante que ele tinha. Ichigo a amava e tinha medo não ser correspondido, mas esse temor desaparecia só de lembrar-se do sorriso que recebeu quando novamente pode vê-la.

Ichigo foi direto ao décimo terceiro esquadrão, mas infelizmente a Kuchiki não se encontrava lá, ninguém sabia o paradeiro da morena, mas o ruivo não desistiria, havia um lugar que com certeza ela estaria e pensando nisso ele segui-o ao encontro do seu destino. Eram tantas as coisas que queria falar com Rukia e em meio à caminhada, a ansiedade predominava, afinal como começar? Quais palavras dizer? Um Eu Te Amo, seria bom? E se ela não sentisse o mesmo? O rapaz balançou a cabeça em negação, não deixaria que nada atrapalhasse, nem mesmo uma batalha interna que se iniciava entre seu coração e a razão.

***

O vento batia lentamente, os fios negros balançavam em sintonia, banhados pela luz do sol. Rukia observava o horizonte, mergulhando em seus próprios pensamentos. Ela sabia que Ichigo estava na Soul Society, sentiu sua pressão espiritual antes mesmo de ser informada por Ukitake. Era sua chance de revê-lo mais uma vez e contar lhe tudo que passou, mas então por que estava fugindo? Bem, não que estivesse de fato fugindo, a morena apenas decidiu sair e passar a tarde admirando a paisagem no campo fora dos muros da cidade espiritual.

Não estava se escondendo de Ichigo, ou será que estava? Se fosse no ano passo, claro que ela estaria ao lado dele quando viesse, mas isso não ocorreu. Rukia não conseguia, a batalha acabou e agora era a chance de conversarem cara a cara e matar de vez a solidão que sentiam, no entanto ela não tinha forças. Muitas perguntas passavam em sua cabeça, o que iria dizer. Ichigo com certeza perguntaria por que ela não cumpriu sua promessa, afinal prometera vê-lo e daria um jeito dele saber que ela estava ali. Mas ela não pôde, queria ter ido, mas só de pensar que nunca mais teriam aquela mesma ligação, que jamais poderia tocá-lo, ela decidiu por se manter longe. Doía ficar separada de Ichigo, de não ter mais sua companhia, de não ver mais aquele sorriso ou ouvir sua voz. Agora que podiam reatar tudo que perderam no ano que passou, por que ela não ia atrás dele?

Rukia sabia o porquê, mas não podia admitir. Ichigo tinha que ficar longe, era para o bem deles. Não havia como terem uma vida sendo ela uma shinigami e ele um humano. Só que assim mesmo, a morena não podia evitar o que seu coração nutria, a saudade, o sentimento por Ichigo somente aumentaram, ela sofria e ninguém podia confortá-la.

Ela o amava, mas não havia como estarem juntos, mesmo agora. Ichigo merecia alguém melhor, uma pessoa que estivesse viva, alguém de seu próprio mundo. Inoue talvez? A ruiva sempre gostou dele, mas Rukia sabia que o rapaz não a via com os mesmos olhos, ela era uma amiga e mesmo agora que ambos poderiam compartilhar de um mesmo sentimento, Ichigo parecia não se importar. A situação com Orihime continuava como simples amizade, uma confirmação talvez, só que Rukia não queria pensar assim, não tinha certeza se o rapaz sentia o mesmo que ela. A única coisa que podia fazer no momento era evitá-lo e colocar em ordem seus pensamentos.

- Sabia que a encontraria aqui – disse uma voz conhecida.

- Ah, oi Ichigo – respondeu a shinigami ao se virar para ele, seus olhos foram logo de encontro ao castanho de Ichigo.

O rapaz sentou ao lado de Rukia e percebeu que assim como ele, a morena parecia apreensiva. Ichigo notou uma leve vermelhidão na face de Rukia, o que deixou à baixinha ainda mais bonita do que já era.

- Ru-kia – começou ele. Ichigo levou sua mão à cabeça, mesmo repassando tudo em sua mente durante o trajeto para cá, ele não sabia como começar.

Foi Rukia, que como sempre soube conduzi-lo, somente não espera ouvir tais palavras.

- Também senti sua falta – ela dizia.

O ruivo sorriu e calmamente pousou sua mão na dela, podendo sentir o calor que ela emanava. Rukia aceitou o gesto, retribuindo com o mais belo sorriso, suas bochechas levemente coradas. Eles não precisavam de palavras para se entender, apenas pequenas atitudes já valiam. Ambos se conectavam, se compreendiam como ninguém poderia compreender.

Ichigo tinha certeza, Rukia o amava.

Rukia não tinha duvidas, Ichigo a amava.

Os dois permaneceram ali, sentados na relva grama completando o horizonte, deixando que a saudade fosse embora. Naquele momento nada, nem ninguém podiam separá-los, estavam novamente juntos e isso era o maior tesouro que poderiam querer. 

5 comentários:

  1. nossa, que lindo o texto. Amei

    http://newsdayoff.tk/

    ResponderExcluir
  2. Muito kawaii.
    Amo IchiRuki! E vc escreve muito bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada *-*, fico feliz que tenha gostado!

      Excluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!