Memórias de um Policial #7 - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Memórias de um Policial #7

Memórias de um Policial #7

04/03/2012


Memórias de um Policial - Um Assassino entre nós
Classificação: 13 anos
Gênero: Ação, Mistério, Universo Alternativo (FanFic)
Baseado em Bleach

*Para compreender os fatos a seguir, é recomendável a leituras dos capítulos: Capítulo Um, Capítulo Dois, Capítulo Três, Capítulo Quatro, Capítulo Cinco e Capítulo Seis


Memórias de um Policial
Um Assassino entre nós
por Sammy


Capítulo Sete


As badaladas do relógio prosseguem cada vez mais rápidas. Os ruídos dos ponteiros martelam na minha mente, seu desagradável som faz com que eu me sinta ainda mais perturbado! Sabemos que quanto mais tempo passar, maiores serão a chances de Momo ter o mesmo destino do Kaien!

Pergunto-me se realmente ela pode ter sido forçada, ou foi embora de livre e espontânea vontade. Tenho para mim que os fatos estão ligados. Tanto a morte do Kaien, quanto o desaparecimento dela e o vírus Hollow!

Queria muito saber a intenção de Aizen e dos outros dois para com a ameaça... Mesmo não tendo certeza absoluta... Algumas idéias, suposições aparecem aos montes em minha cabeça!

Nossa como queria saber mais sobre esse vírus... Além é claro das causas dele sobre a Hinamori!

Projetando as mais diversas hipóteses possíveis, nem me dou conta de ter passado da sala do Ukitake, até que Rukia chama minha atenção.

- Ichigo!

- O que foi? – ao virar para trás, reparo na baixinha enfrente a porta.

- É aqui! – ao dizer isto, ela fixa seu olhos no nome gravado na placa de metal.

Delegado Ukitake Juushiro – superior responsável pelo Esquadrão Especial Sho


- Sabe quem servia como vice-comandante do Esquadrão Sho? – perguntou a Kukichi. Seus olhos grandes com a íris intensa portando, um azul tão escuro como duas pedras de Lápis Lazuli, encaram o castanho da minha própria íris. – Kaien!

Essa informação realmente me pegou de surpresa. Sempre achei que Shiba servia como vice do nosso esquadrão.

- Como os policiais da Sho são mais especializados em evidencias, o delegado Ukitake autorizou Kaien a ajudar com os nossos casos! – Rukia nem precisa esperar que eu pergunte algo. Minha companheira é capaz de saber o que penso e sinto, sem que seja necessário dizer uma única palavra! – Ukitake sabia o quanto Kaien era especial, e como suas habilidades seriam mais aproveitadas no Esquadrão Alpha...

- Entendi...

Não que fosse preciso mais informação. Pouco me importava em qual esquadrão Shiba servia, o importante era ser amigo dele! Nunca me esquecerei da sua companhia terna, da sua amizade sem preconceitos e seu senso de proteção fora do comum... Kaien será sempre lembrado, não apenas por mim, mas por todos que o tinham como amigo!

Uma pessoa jamais morre definitivamente... Ao recordarmos dela, é como se ainda estivesse viva! Sua presença nunca se extinguirá, enquanto seu coração estiver conosco! Era isso que ele sempre dizia...

- Bem é agora! – falo com um das mãos na maçaneta. Solto um breve suspiro. Enquanto meus pulmões vão se enchendo novamente de ar, giro devagar a fria maçaneta dourada...

O espanto é grande, ao constarmos a porta sendo aberta por outras mãos, sem serem as minhas...

.

A luz do lado de dentro esta fraca, com um tom amarelo fosco, pouco ilumina a face que se esconde na escuridão... Ao dar passos para onde nos encontramos, o individuo seriamente percorre seus olhos para as duas pessoas paradas na entrada da sala.

Os olhos pequenos, semi-serrados. A sobrancelha curta frisada, e o olhar mostrando a frieza com que nos lança, Byakuya espera nossa respostas para estar naquele setor, bem longe dos corredores do Esquadrão Alpha...

Só que nada. Nenhum de nos conseguia dizer uma única palavras, quer dizer... Rukia treme pouco ao se afastar da porta, e ao fazer isso, soluça um Nii-san!

As duas íris ônix surtem um efeito na pequena, que me deixa furioso! Não com ela, e sim com o tirano na nossa frente! Rukia nunca se queixou do irmão, ou reclamava de qualquer coisa sobre a relação com ele. Mas um cara ciumento, que se zanga somente por ela ser minha parceira, e que toda vez me lança aquele olhar ameaçador de “Eu vou te matar, se chegar perto da minha irmãzinha”, não me parece uma pessoa normal... Sério! O Kuchiki me fuzila com o olhar! Depois do delgado Kenpachi, Byakuya é o ser humano que mais me aterroriza!

- Delgado K-Kuchiki... – começo a falar, e sou interrompido pelo meu superior.

- Entrem!

Obedecendo as ordens, seguimos para dentro da pequena sala. O ventilador ligado, roda despejando sua fraca ventania pelo cômodo. A saleta um tanto escura para meu gosto, é bem simples. Uma mesa com vários papéis, pastas e fichas, são iluminados pela lâmpada da luminária prateada em cima do móvel. O sofá e cadeiras gastos com o tempo compõem o visual do lugar.

- Não precisam incomodar-se em sentarem! – implacável, o delegado anda até a mesa bagunçada com tantos objetos. Seu cabelo negro, cumprido indo até os ombros, com fios lisos e extremamente negros, balança com o sopro do ventilador, que ia e vinha. – É isso que estão procurando?

Dando um pedaço de papel dobrado, Byakuya observa nossa reação. Rukia nada diz, apenas fita o chão. Aparentemente com receio de receber uma bronca do irmão. Agora eu, engulo a seco e com as mãos tremula retiro o item da posse do delegado.

Desdobrando, constato ser um mapa a folha entregue. O desenho do que vem a ser um armazém, mostra corredores e possíveis salas. Uma em especial esta marcada com um X.

- O que é isso? – nada mais faz sentido nessa hora...

- Um mapa! Ou será que o desmaio fez tanto mal para sua cabeça, que agora ficou idiota de vez!

- Renji! – não é preciso dizer o quanto estranhei sua presença naquele momento, ou melhor, não apenas a dele... Toushiro também esta junto, só que esse mostra uma indiferença para com todos.

- Demoraram! Há essa hora, Ukitake já deve estar lá! – critica o delegado com uma raiva fora do normal.

- Vamos para lá agora mesmo senhor! – completa Abarai ao segurar Rukia pela mão e levá-la para fora da sala. – Quer que eu te arraste Ichigo? Ou será que prefere que eu pegue na sua mão também?

Desta vez eu não ia deixar barato! O sangue já me subiu a cabeça!

- Procure proteger a Rukia, Kurosaki! – me impedindo de socar o ruivo, Byakuya fala algo que jamais pensei escutar dele.

- Pode deixar! – respondo. Não é necessário ele pedir, eu sempre protegerei aquela baixinha invocada! Por mais que ela diga que não precisa, estarei disposto a arrisca minha vida pela Rukia!

.

Novamente começamos a correr, mas ao invés de dois, agora somos quatro! Quatro pessoas que avançam contra o tempo, procurando investigar o mistério da morte de um amigo e o desaparecimento de outro...

- Será que agora podem me explicar o motivo de estarem aqui? E por que o Byakuya esta na sala do Ukitake?

- No caminho para o armazém explicaremos Kurosaki! – fala Hitsugaya num tom seco.

Eu não iria discutir. Também não posso negar sentir uma aflição, e um arrepio ao saber que iremos seguir até o local onde Kaien desapareceu.



4 comentários:

  1. Oi, tudo bom ?
    Muito boa sua fanfic e ainda mais de Bleach *-*
    É a primeira vez que visito seu blog e adorei aqui,
    estou seguindo e adoraria que você me seguisse de volta.
    Minhas parcerias estão abertas, se te interessar... ah e faço encomendas *-*

    Beeeijos ;*
    http://ladonerdl.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Não li os outros capítulos,então um comentário decente não vou poder escrever :/ rs Mas pelo que vi naquele outro post seu, escreves muito bem mesmo e deve ser boa a narração ><

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. adorei este blog :)

    ja sou seguidora tanto no blog como no facebook :)

    ResponderExcluir
  4. Nossa >< Não cheguei a ler os outros mas parabéns, você escreve muito, muito bem!
    Seguindo aqui, parabéns pelo blog, é maravilhoso.
    Um beijo,
    http://delirios-degarota.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!