Recordações ao Vento - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Recordações ao Vento

Recordações ao Vento

13/05/2012



Título: Recordações ao Vento (Oneshot - Capítulo Único)
Gênero: Drama
Classificação: Livre
Baseado em Bleach

Essa oneshot, fiz em 2011 para o Dia das Mães, onde me foquei em Kurosaki Ichigo e seu sentimento profundo por sua falecida mãe Masaki. 




Recordações ao Vento
por Sammy


- Faz tempo não? – começou a dizer, sua voz era pesada e melancólica. Não sabia se continuava com aquilo, nem se dava ao luxo de saber o real motivo de estar ali, apenas que sentiu uma enorme necessidade de ir aonde seu coração dizia – A última vez foi quando? – ele suspira, as palavras estavam engasgadas em sua garganta. - Ah sim! Foi com o velho e as meninas! – ele fechava os olhos, como se estivesse lembrando-se daquele dia.

E então ele lê as escritas na lapide: Kurosaki Masaki – Excelente Mãe, magnífica esposa.

- Quando foi que ele mandou escrever isso?  - irritado, ele tentava consentrar-se no horizonte. A tarde estava calma, o sol mantinha raios fracos, escondidos pelas nuvens que se movimentavam com o sopro do vento. – Não sei por que estou aqui, talvez você tenha percebido...

Podia ser a situação mais estranha que estava vivendo, mas ele tinha conciencia de que sua vida era um poço de estranheza. Nada era normal ao seu redor, por tanto não se importava se outros escutassem sua conversa. Não havia nada de errado nisso! Qualquer um fazia isso... Pelo menos ele espera que sim... Afinal conversar com sua mãe morta em pleno Dia das Mães, não haveria problemas. E se sim, por que ligaria? Era um momento dele para com sua falecida mãe, jamais teria alguém para julga-lo ou para atormenta-lo. Não nesse dia!

- Onde estávamos? – continuou, como se ela o tivesse respondido. Seus olhos castanhos mel pousavam pela lapide, tristes e sofredores. – Já faz dessezete meses sabe, mais de um ano. E nesse tempo que passou, aprendi muita coisa. Vivi muita coisa. Consegui aquilo que mais desejava na vida, eu pude proteger aqueles que me são queridos.  – ele contava sua história, como se desabafasse. Dizendo cada uma de suas conquistas, cada um dos seus ferimentos, treinos e inimigos. - Aizen foi o mais poderoso, não tenho duvida disso! Ulquiorra o quarto arrancar merece meu respeito, ele me derrotou e se aquilo não tivesse acontecido talvez eu tivesse morto... – odiava lembrar-se da sua queda, da fraquesa que teve. Odiava ter que lembrar que perdeu o controle e sua forma Hollow dominou seu corpo, lhe garantindo a morte do Quarto Espada. Mas ele não se considerava vitorioso. Não... Era um perdedor... Deixou-se regredir... - Infelizmente precisei sacrificar meus poderes sabe... – prosseguiu com sua narrativa, relatando o que passou.

Ele a imaginou, com seus longos cabelos claros, escutando atentamente suas palavras, em seus olhos a preocupação com tudo que seu filho tinha vivido.

– Eu não tinha escolha, Aizen iria machurar a todos, iria machur a... – Ele para. Afinal, era sofrido recordar-se daquela decisão. Optou por perder tudo que ela havia lhe dado, para que conseguisse proteger a todos e isso incluía uma certa pessoa, mais que qualquer um! - Talvez eu pudesse ter feito algo diferente, não sei... Só que sinto ter sido essa a escolha correta. Quantas vidas eu salvei não foi? – ele ri, um sorriso falso lhe cobriu o rosto. Seu coração doía.

Quem sabe ele se arrendia... Não tinha certeza. A única coisa que sabia era que a saudade batia fundo, esmagando seu peito. Precisava falar, desabafar com alguém... E ao lembrar-se da comemoração das mães, desejou mais que tudo que a sua estivesse ao seu lado. Que ela pudesse ouvir suas palavras de felicidade para esse dia. Que ela soubesse o quanto ele a amava e se arrependia de não ter tido forças para salva-la naquela época...

- Desculpe, eu não queria estar dizendo essas coisas... – Ele parecia adiar as verdadeiras palavras que queria pronunciar. Tudo estava confuso em sua mente e coração.
A falta de certo alguém, a angustia por ser aquela data e não poder abraçar a dona da festividade. Ele sentia falta das duas... Mas como dizer, como acalmar seu espírito? Se se sentiu tão pequeno, tão desemparado, que foi procurar a única pessoa que acalmava seu coração quando criança...
- Sinto sua falta... Desculpe por tudo... – Ele não conseguia dizer, o sufoco era maior. Era muita coisa, sentimentos demais. Culpa demais... – Não queria te dar a impressão de estar me aparando em você! Esse é seu dia, mesmo que não esteja mais entre nós... E novamente eu estraguei tudo...

As lagrimas brotavam entre seus olhos. Sua face já vermelha não podia esconder sua decepção consigo mesmo...

- Mãe eu só... – foi quando sentiu... Um toque. Eram as mãos dela! O perfume dela que o vento trazia consigo. Uma mistura fresca de rosa e orvalho. Jamais se esquecerá daquele aroma, mesmo sendo muito jovem, uma criança aliais. Ele se lembrava! – Feliz dia das Mães, mãe! – sorrindo, com a felicidade nascendo em seu peito, confortado por aquele toque ele agradeceu – Obrigado...

10 comentários:

  1. Eu nem imagino como é a perda de uma mãe, por enquanto, nem gosto de pensar nisso, acho que cairia demais e demoraria para me levantar. Bonita estória Sammy :'}

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro Bleach, é um dos meus animes favoritos (:
    Tenho camisa, caneca, chaveiro HAHAHAHAH
    aMEI O TEXTO.

    Beijos,
    Marinah | Blog Marinah Gattuso

    ResponderExcluir
  3. faz um tempo que não assisto Bleach (nem sei se voltarei a assistir). mas, eu me lembro que a perda da mãe dele tinha sido um burrado imenso. um Hollow essa fraqueza uma vez.

    o seu conto ficou bom ^^

    ResponderExcluir
  4. Que lindo, eu gostei muito. Mesmo não estando presente em corpo, ela estava em espírito, com o filho, nesse dia especial *o*

    http://vitaminadepimenta.blogspot.com.br/
    #LariCrazy_

    ResponderExcluir
  5. Fiquei apaixona pelo post, adorei o blog não conheço mas vou dar uma espiada por ai para saber mais.
    Add e curti meu blog
    bonequinhadepixe.blogspot.com
    Dá uma espiada na loja
    bonequinhadepixe.tanlup.com
    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. Eu senti na pele muito cedo essa sensação de perder pai e mãe!! Ficou ótima a one!!

    Xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Imagino o quanto a perda da mãe seja complicado. Mas eu acredito que todas as pessoas que não estão mais fisicamente ao nosso lado, estão espiritualmente, assim como na história. Quando o amor é forte, laços internináveis os unem.

    Adorei demais, voltarei mais vezes.
    Beijos e boa semana Sammy. :*

    ResponderExcluir
  8. Que bonito, tu escreve muito bem e consegue expressar os sentimentos de um jeito legal de ler XD
    Continue ^^

    Beijão
    Bruna Reis
    http://desbravandohistorias.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nossa que lindo, bela base vc teve pois bleach é um dos melhores animes, apesar de ser enooooorme.

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Ahhh... que lindooo... fiquei emocionada.
    Vc sabe escrever, é muito boa!!
    Amei!!

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!