Resenha: Resident Evil - A Conspiração Umbrella - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Resident Evil - A Conspiração Umbrella

Resenha: Resident Evil - A Conspiração Umbrella

21/06/2014


Título: Resident Evil  (Livro 01)
Subtítulo: A Conspiração Umbrella
Edição: 1
ISBN: 9788582400760
Autora: S.D.Perry
Editora: Benvirá
Ano: 2013
Páginas: 232
Avaliação:  
Sinopse: Este livro é fundamental para os fãs de Resident Evil que desejam entender o incidente em Raccoon City, que teve início na fabulosa mansão Spencer. Usando como pano de fundo a história do primeiro jogo da série, S.D. Perry reconta os acontecimentos registrados nas montanhas Arklay, onde ocorrências de canibalismo assustam a população. A autora vai além da narrativa original e acrescenta momentos anteriores à missão dos S.T.A.R.S., com novas situações para envolver os leitores na busca por respostas aos casos bizarros que, de alguma forma, estão relacionados à corporação Umbrella. Aventure-se nas descobertas de Chris Redfield e Jill Valentine, que lutam pelas suas vidas para não serem engolidos pela escuridão eterna. Surpreenda-se ao encarar o seu próprio medo das coisas que se escondem por trás de cada esquina. Boa leitura!
Mortes e desaparecimentos assolam a cidade de Raccoon, para evitar o pânico e que mais incidentes continuem, os S.T.A.R.S. são mandados para investigar os ataques ocorridos. A equipe Bravo responsável em coletar pistas e indícios sobre o caso de Raccoon, desaparece pouco depois de sua chegada, próximos a área da Mansão Spencer. Com a equipe Bravo desaparecida, o capitão Wesker e os membros dos Alfas saem em disparada para o local onde os companheiros desapareceram. Mas o que os Alfas encontram é assombroso e enigmático.

Os Bravos sumiram e nem menos tocaram em os materiais que os auxiliariam na missão, como armas e kits de primeiros socorros. Ao caminharem pela floresta, os Alfas encontram os destroços do helicóptero dos Bravos e tentam compreender o que aconteceu, não há indícios de corpos de seus colegas e quando enfim, eles encontram uma pista, são surpreendidos por uma horrenda criatura sedenta por sangue, que avança para cima deles. A única escapatória é chegar até a Mansão Spencer. No entanto ao se deparem com a atmosfera sóbria e o luxo fantasmagórico do local, os Alfas perguntam-se realmente estão seguros...

Existem segredos entalhados nas paredes da Mansão Spencer, Chris, Jill, Barry e Wesker enfrentaram inúmeros perigos, enigmas meticulosos e criaturas que jamais o deixaram esquecer-se do pesadelo da cidade de Raccoon.

Impossível não falar do próprio game ao fazer a resenha de Resident Evil – A Conspiração Umbrella, Perry retratou fielmente os fatos que deram origem ao jogo de maior sucesso da Capcom. Como fã da série Resident Evil, eu posso dizer que a autora conseguiu resgatar a tensão e adrenalina que fizeram de Resident o sucesso que é até hoje. Este primeiro livro, mostra toda a história de Resident Evil 1 e quem jogou o primeiro game, vai sentir uma nostalgia tremenda e uma vontade enlouquecedora de iniciar novamente a aventura na Mansão Spencer, ao lado de Chris Redfield e Jill Valentine. Para quem não é acostumado com o jogo, está leitura será inesquecível, afinal, a ação tão presente nos games está retratada nas 230 páginas do livro.

Nem preciso dizer o quanto recomendo a leitura, não é? Mas farei, até porque Resident Evil – A Conspiração Umbrella foi uma das leituras mais elaboradas e bem escritas que li, além de possuir uma diagramação e revisão maravilhosa!

***

Esta postagem conta pontos para o Top Comentarista de Junho 2014. Se você esta participando, não deixe de comentar para garantir seus pontos e concorrer aos livros, Diga aos Lobos que estou em casa ou Quando tudo volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!