Resenha: Filha da Ilusão - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Filha da Ilusão

Resenha: Filha da Ilusão

16/08/2014


Título: Filha da Ilusão
Subtítulo: Herdeiros da Magia - Livro 01
Edição: 1
ISBN: 9788565859295
Autora: Teri Brown
Editora: Valentina
Ano: 2014
Páginas: 288
Avaliação: 
Sinopse: Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini - ou pelo menos, é o que Marguerite alega - os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truqye mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro.
Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar?
Teru Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz - e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.
Anna possui dons extraordinários e ao mesmo tempo assustadores. Filha da excêntrica Marguerite Van Housen, famosa médium que apresenta shows e sessões espiritas, Anna trabalha como sua assistente com pequenas apresentações de mágica e faz o possível para que as sessões se tornarem “reais” e livres de suspeitas, mesmo que isto vá contra seus princípios. 

Ao contrário da mãe, Anna não gosta de se expor e faz de tudo para manter seus dons a salvo, nem mesmo Marguerite sabe sobre seu segredo. Desde pequena, a jovem tem vivido com peculiares sensações e agora seus poderes estão cada vez mais acentuados. O que era apenas visões e sensações sobre terceiros, Anna passa a vivenciar cenas futuras de sua própria vida e um perigo recomente lhe ronda o caminho. 

Mas, além disto, Anna possui um talento fabuloso para magicas e ilusões, só que o que mais lhe espanta são as habilidades paranormais cada vez mais fortes e esses poderes aumentam com a chegada de Cole, seu vizinho do apartamento de baixo.  Cole lhe passa uma sensação diferente de segurança e incerteza ao mesmo tempo. Como confiar neste misterioso e sedutor rapaz? 

Com o tempo se esgotando e o perigo se aproximando, Anna precisa encontrar um meio de compreender seus poderes e salvar sua mãe das armadilhas presentes na escuridão.

Reunindo romance histórico, misticismo e magica, Filha da Ilusão é um prato cheio para aqueles que buscam o inesperado e querem encontrar em meio disto uma ótima história para ler; A obra de Teri Brown tem tudo isto e um pouco mais! Eu nunca havia lido um livro em que a personagem principal fosse uma ilusionista e ainda unindo poderes paranormais fazem de Filha da Ilusão, uma história cativante, bem construída e envolvente. 

Narrado em primeira pessoa, o leitor pode sentir os sentimentos de Anna tão aflorados e fortes, que à medida que a leitura avança, tanto a personagem como a história ao seu redor vão ganhado o leitor cada vez mais. Um fato curioso é que ao ler Filha da Ilusão, eu decidi dar um up na minha leitura ao ouvir musica instrumental japonesa, daquelas bem calmas e usadas para meditação. Pode parecer uma mistura diferente, unir dois contextos tão opostos, mas deu muito certo para mim, porque me vi tão envolvida com Filha da Ilusão, como jamais estive com outra leitura. Claro que o talento de Teri e sua escrita fluida influenciaram, além do enredo ser maravilhoso, mas a música calma e relaxante japonesa também pesou bastante, afinal, não tive influencia externas que sem acabam por me distrair quando pego um livro. 

Unir música com a leitura foi uma escolha surpreendente e no meu caso, ajudou tanto, que li Filha da Ilusão rapidamente, ficando focada nas palavras da autora. Só tenho a agradecer a editora Valentina por trazer esta obra tão fascinante e mágica que revela um enredo que jamais esquecerei!  

***

Esta postagem conta pontos para o Top Comentarista de Agosto 2014. Se você esta participando, não deixe de comentar para garantir seus pontos e concorrer aos livros, Em meu pensamentos ou Diamante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!