Resenha: Nosferatu - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Nosferatu

Resenha: Nosferatu

05/09/2014


Título: Nosferatu
Edição: 1
ISBN: 9788580412970
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 624
Avaliação: 
Onde Comprar: Saraiva / Submarino / Americanas / Amazon
Sinopse: Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie. Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.
Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.
Victória Mc Queen tem um dom especial, junto com sua bicicleta, ela consegue chegar a uma ponte no bosque próxima de sua casa; Com esta ponte, Vic consegue encontrar qualquer coisa que esteja perdida. Na sua primeira ida a Ponte do Atalho, ela recupera a pulseira perdida da mãe, que fora esquecida a milhares de quilômetros em um estabelecimento que visitaram nas férias. Com este estranho dom, Vic segue sempre a procura de coisas perdidas, sua ponte nunca erra, porém, usar este poder tem um preço alto...

Na busca pela verdade e compreensão, Victória chega até Maggie, uma bibliotecária de Iowa, que lhe explica tudo sobre sua habilidade especial. Maggie também tem um dom, com as letras de um jogo de palavras cruzadas, ela consegue a resposta para qualquer pergunta. Durante a conversa com Maggie, a jovem descobre sobre O Espectro e a habilidade perversa que ele carrega. Mesmo alertada por Maggie, Vic vai atrás de um desafio e sem se dar conta, encontra com Charles Talent Manx.

Com seu dom, Charles pode levar crianças para viverem na Terra do Natal, um lugar mágico, onde a infelicidade é contra a lei. Mas não se engane, nem toda a felicidade esta na diversão e Charlie Manx, O Espectro e seu Rolls – Royce não são o que parecem, as vias sombrias para a Terra do Natal são tenebrosas e perversas...

Este é um bom resumo do que se pode esperar de Nosferatu, se houvesse mais palavras com certeza teriam alguns spoilers (risos). De tão fascinante que é esta obra de Joe Hill, me peguei escrevendo mais do que devia e conclui que se não parasse, poderia haver cenas importantes descritas nesta resenha e que estragaria as muitas surpresas que te aguarda na Terra do Natal, e Charlie Manx ficaria desapontado se você soubesse dessas alegrias tão maravilhosas que esse lugar mágico tem para oferecer!

Joe Hill é um autor genial, sua nova obra veio para aclamar o gênero do horror. Com muito suspense, pontas bem amarradas, narrativa em terceira pessoa fluida o bastante, as mais de 600 páginas de Nosferatu passam rapidamente e você se pega com aquele assombro ao final do livro!

Houve algumas partes que foram um pouco repetitivas em minha opinião, mas isto se deve ao fato de que minha curiosidade estava a mil e eu queria logo saber o que aconteceria, mas fui paciente e ao final, Hill conseguiu novamente me surpreender. Eu havia lido outra obra do autor (Estrada da Noite) e minhas expectativas estavam altíssimas a respeito de Nosferatu; Joe mais uma vez mostrou seu talento e continuo abismada com sua similaridade e ao mesmo tempo diferença com Stephen King (para quem não sabe, King é pai de Joe Hill). Hill já mostrou que sua habilidade em criar histórias macabras é impecável e tão notável como o grande mestre Stephen King. Nosferatu veio para dar a confirmação que o autor é um talento de primeira do gênero horror.

Nosferatu é arrepiante, tenso, perturbador e envolvente, mesmo tendo um final conclusivo, o autor ainda deixa uma brecha que pode servir para uma nova história e isto deixa o leitor enlouquecido, na dúvida e ao mesmo tempo na certeza que na próxima vez, Joe Hill vai se superar mais uma vez. 

Talvez esta resenha tenha se estendido além do normal, mas posso garantir que Nosferatu é um livro épico do gênero, e obrigatório para todos aqueles que gostam do estilo. 

***

Esta postagem conta pontos para o Top Comentarista de Setembro 2014. Se você esta participando, não deixe de comentar para garantir seus pontos e concorrer aos livros, A Maquina de Contar Histórias ou Perdendo-Me.

Sammysam Rosa

Escrito por:

Sammy. Casada e apaixonada por livros. Gosto de literatura policial, suspense e terror. Típica pisciana, sonhadora e curiosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!