Noticiário Literário: Editora Biruta (Lançamentos) - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Noticiário Literário: Editora Biruta (Lançamentos)

Noticiário Literário: Editora Biruta (Lançamentos)

09/10/2014


Essa é a história de um grupo de crianças que vive em um Brasil bem diferente. Em 2014 completam-se 50 anos que o Brasil sofreu o Golpe Militar, onde a repressão e a censura foram protagonistas. E, através dos olhos de uma menina de onze anos e de sua turma, somos transportados para o Brasil da década de 70 que vivia sob o domínio da Ditadura Militar.

Nesse cenário, onde se desenrolou a luta de militantes e estudantes contra o duro sistema, conhecemos também a luta das crianças do Condomínio da Colina, na Serra das Araras, pelo seu direito à diversão. Nas férias de verão, o centro de todas as brincadeiras era a piscina comunitária abastecida com a água vinda diretamente do alto da serra. Mas, o General Pimenta, que tinha acabado de se mudar para uma casa enorme do condomínio, vivia reclamando que a água do riozinho mal chegava em sua casa para abastecer sua piscina particular. Foi então que a grande confusão começou, pois o general usou sua influência para desviar toda a água até sua própria piscina. E a turma do Condomínio da Colina partiu para a briga contra a repressão: Piscina Já!

Enquanto isso acontece, a família da protagonista lida com outro problema: o sumiço do Tio Zeca, que usava camisetas do Che Guevara, barba do tipo “eu sou comuna” e que contava várias histórias sobre o que estava acontecendo no país afora. Era o herói das crianças, e conhecido pelos vizinhos como comunista. Dessa forma, o leitor logo percebe que a luta das crianças, à sua maneira (bem peculiar!) está inserida em outras muito maiores.

De maneira singela, mas sem fazer concessões, o autor traz à tona um Brasil que as crianças de hoje pouco conhecem. No posfácio, “Para entender, um pouquinho, o Brasil dessa época”, os editores apresentam um panorama mais detalhado sobre como foi implantada a Ditadura, quais foram as consequências e em que momento aconteceu a campanha das Diretas Já, que deu origem ao nome do livro.

Sobre o autor
Autor de cerca de 90 títulos. Ganhou diversos prêmios pelo mundo, o Jabuti (1994); várias menções do Prêmio Altamente Recomendável, da FNLIJ; inscrito na lista de honra do IBBY (2007); o White Ravens (2008), a maior biblioteca de literatura infantil e juvenil do mundo – na Alemanha. Mestre em Literatura Brasileira pela PUC RJ. Colaborador em jornais. Costuma ministrar oficinas de leitura e de criação literária por todo o país. Para conhecê-lo melhor, acesse: www.luizantonioaguiar.com.br

Sobre o ilustrador
Tiago Lacerda nasceu em 1979 em Volta Redonda. Formou-se em Design e trabalhou como cartunista, fazendo animações para TV e Cinema. Desde 2012 ilustra uma coluna semanal da Revista sãopaulo; em 2013 tornou-se colaborador da revista VIP. Além disso, é editor da revista Beleléu, um importante selo de quadrinhos na cena independente do Rio de Janeiro.

Piscina Já, Luiz Antonio Aguiar, R$ 32,50, ISBN 978-85-7848-144-5, a partir de 09 anos, 104 páginas.




“O que era aquela grama toda e aquele céu todo e aquele mundo de gente, de bandeiras, de cimento? Um mundo de mundos, eu nunca tinha visto nada assim.”

Em O Gigante do Maracanã, é possível assistir a uma grande partida, onde está em jogo muito mais que um placar. Lá estão uma menina e seu pai. Qual a distância entre eles? Hoje, estão bem próximos, no meio de uma torcida. É a primeira vez que o pai a leva pra ver um jogo de futebol, e essa aventura acontece na arquibancada daquele estádio imenso, o grande Maracanã. Não, o gigante!

A narrativa situa-se entre o final dos anos 50, início dos 60; acompanhamos as jogadas de futebolistas que entraram para a história do nosso futebol, como Garrincha, Amoroso e Carlos Alberto. Apesar da final fictícia, apresenta-se um clássico do esporte: mas, a emoção maior acontece nas arquibancadas, onde pai e filha assistem e sofrem juntos pelo seu time do coração. A primeira vez no estádio foi marcante para a narradora. Teve que aprender a lidar com a dor de ver seu time perder e, principalmente, aprofundou a relação com seu pai e viveu um momento muito especial ao seu lado.

“Foi gostoso ver de novo aquele verde todo, que tinha fim, mas parecia que não tinha. E eu já sabia o nome de todo mundo, menos dos palhaços. Quer dizer dos palhaços eu sabia só o ‘Garrincha! Garrincha! Garrincha’. Mas não falava não. E a gente continuava gritando e só parava quando vinha o Garrincha, pra eu fechar um olho e o Altair-Magrinho derrubar ele.”

As ilustrações e o projeto gráfico seguem as cores do time dos protagonistas: branca, vermelha e verde, do Fluminense. Forte e marcante, o projeto dá vida ao universo do futebol.

Sobre o autor
Cesar Cardoso, escritor e fotógrafo, é formado em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. É colunista da revista Caros Amigos, e para a tevê já criou roteiros para os programas TV Pirata, Sai de Baixo, A Grande Família e Toma Lá Dá Cá, da Rede Globo.

Sobre o ilustrador
Larissa Ribeiro é formada em Arquitetura, mas atua como ilustradora. Já morou na Itália, na Inglaterra e na Espanha para estudar ilustração.

O Gigante do Maracanã, Cesar Cardoso, R$ 32,50, ISBN 978-85-7848-147-6, a partir de 08 anos, 56 páginas.

***

Esta postagem conta pontos para o Top Comentarista de Setembro 2014. Se você esta participando, não deixe de comentar para garantir seus pontos e concorrer aos livros, A Maquina de Contar Histórias ou Perdendo-Me.

Sammysam Rosa

Escrito por:

Sammy. Casada e apaixonada por livros. Gosto de literatura policial, suspense e terror. Típica pisciana, sonhadora e curiosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!