Resenha: Crônicas de Oldar (Durilim: Filho do Dragão)

08/11/2014


Título: Crônicas de Oldar
Subtítulo: Durilim: Filho do dragão
Edição: 1
ISBN: 8584050108
Autor: Rondinelli Fortalesa
Editora: Modo Editora
Ano: 2014
Páginas: 320
Avaliação: 
Onde Comprar: Loja Modo Editora
Sinopse: Herlana e Gurtum encontraram uma pedra lilás estranha na floresta Negra, tudo indica que seja um ovo de dragão e isso pode por em risco a vida de todos em Edammael. Seres das trevas com garras afiadas e caudas peçonhentas surgem novamente e os dans enfrentarão dias de trevas como jamais enfrentaram antes. Os dragões não são mais os mesmos e a magia que lhes transformou no que são, continuou a fazer seu efeito dando origem à dragões com os mais extraordinários poderes. Talvez uma nova guerra se inicie, e dessa vez,não será contra pessoas... E sim contra os monstros que sobraram da Guerra da Traição.
Quando Herlana e Gurtum encontram um misterioso ovo junto com Trum, um dos muitos dragões de Oldar, a suspeita de que o achado realmente seja um ovo de dragão, desperta a insegurança em ambos. Após a Guerra da Traição, os dragões passaram a ser pacíficos e amigos dos dans, no entanto, esse ovo pode ser uma grande ameaça por conta dos acontecimentos do passado, as lembranças ainda são fortes mesmo pelo tempo que passou.

Ao consultar Ádalo, o Grande Senhor de Oldar, Herlana não consegue uma confirmação para o ovo, que segundo Ádalo, carrega tanto um poderoso aliado, como um terrível inimigo... Após o conselho real decidir pela destruição do ovo, Gurtum se encarrega de fazê-lo, mesmo com o coração na mão, tanto ele, quanto Herlana sofrem com a decisão de por fim na vida de um bebê dragão... Mas antes mesmo do afiado machado cumprir com o seu destino, o ovo se choca...

Crônicas de Oldar – Durilin: O Filho do Dragão possui um plano de fundo interessante, com boa referencia a fantasia e mitologia. Um detalhe a se mencionar, são as raças e aspectos que os Dragões possuem na obra de Rondinelli Fortalesa, estes últimos, diferente do que conhecemos, são pacíficos, amigos e protetores, além de terem o dom da fala; Foi legal ver esse ponto em relação aos dragões, pois dá uma perspectiva diferente do que conhecemos até então.

No entanto, eu senti que faltou amadurecimento no enredo, faltou inserir mais sentimentos aos personagens, que ficaram superficiais em boa parte da história. Além disto, a repetição de palavras como disse e tantas outras deixaram a leitura lenta. A inserção de inúmeros personagens em minha opinião fez com que parte do enredo se perdesse, já que essa colocação deixava parte da história confusa. Mas apesar disto, Crônicas de Oldar tem potencial, vários elementos criados pelo autor foram bons, apenas se mostra necessário um aperfeiçoamento em sua escrita e narração para que o livro se torne ainda melhor. Re-salva para a diagramação interna do livro, que está linda, com detalhes na abertura dos capítulos e fonte para a primeira letra com ornamentos, gostei do capricho da editora com estes pontos. 

***

Esta postagem conta pontos para o Top Comentarista de Novembro 2014. Se você esta participando, não deixe de comentar para garantir seus pontos e concorrer ao livro, O Homem Perfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!