Resenha: Um Herói para Ela

19/12/2014

Título: Um Herói para Ela
Subtítulo: Escreva sua própria história.
Edição: 1
ISBN: 9788581634333
Autores: Lu Piras
Editora: Novas Páginas (Novo Conceito)
Ano: 2014
Páginas: 336
Skoob
Avaliação: 
Onde Comprar: Amazon (Versão Física e E-book)
Sinopse: Bianca sempre quis ser roteirista de cinema. Para realizar seu sonho, ela sai do Brasil para estudar na famosa New York Film Academy. Em meio às emoções da nova vida na Big Apple, um rapaz misterioso acaba salvando a vida de Bianca em duas situações diferentes. Tudo o que ela sabe é que o seu herói tem no braço uma misteriosa tatuagem. Sem pistas sobre o seu protetor, ela é convidada para um show da banda The Masquerades, cujos componentes escondem os rostos atrás de máscaras. Uma rosa branca cai sobre o seu colo, arremessada pelo vocalista. Decidida a desvendar a identidade do mascarado, Bianca invade o camarim da banda. A surpresa que a aguarda por trás daquela porta poderá mudar o seu destino.
Bianca cultivara o sonho de ser roteirista desde mais nova, mas apenas agora, no auge da sua insegurança, seus pais resolvem inscrevê-la para estudar na famosa New York Film Academy, na tentativa de reerguer a confiança da filha. Na cidade que nunca dorme, ainda sob o efeito de estar realizando um sonho, Bianca conhecerá duas colegas de quarto completamente diferentes e passará por situações inesperadas por entre as ruas da Big Apple, quando um rapaz misterioso terá a oportunidade de salvá-la sem deixar quaisquer rastros. Intrigada com seu mistério, com nada mais além da pista de ele ter uma tatuagem no braço, ela quer encontrá-lo, em meio à inspiração para o seu próprio roteiro. Ela só não esperava que pudesse atrair a atenção de dois rapazes distintos, e pela primeira vez na vida a moça sonhadora terá de equilibrar os próprios sentimentos entre o que parece certo e o que parece errado - mas, no fim das contas, talvez seja tudo a mesma coisa.

Em seu quarto romance, Lu Piras nos apresenta uma espécie de recriação do que seria o conto d'A Bela e a Fera, em um enredo contemporâneo por entre as ruas de Nova York, numa história que vai do romance ao mistério em uma narrativa doce e ágil. Com uma fluência de leitura maravilhosa, Um Herói para Ela envolve e cativa o leitor por seu desenvolvimento firme e ágil, e personagens marcantes e cheios de personalidade e profundidade, mais um triângulo amoroso que definitivamente surpreende e, de certa forma, engana pelas aparências.

“— [...] Não existe final feliz. Existe o para sempre. Aconteça o que acontecer, se o que você sente é verdadeiro, não acaba com o final.”

Desde o início nos deparamos com as principais características de Bianca: romântica e sonhadora, mas, ultimamente, depois de tantos namoros fracassados em busca do seu "príncipe encantado", ela já não anda com a confiança muito alta, mas uma vez em Nova York, apresentada a novas pessoas e culturas, ela terá a chance de encontrar-se novamente. No prazo de dois meses para estudar e elaborar o seu primeiro roteiro definitivo, ela só não contava que fosse descobrir o amor de uma forma tão intensa, mas por vezes diferente daquilo com o qual ela está acostumada. Se de um lado Paul tenta conquistá-la com sorrisos e uma grande oportunidade de ter seu roteiro produzido de verdade, do outro, Salvatore aparece em sua vida da forma mais corriqueira possível, e por mais que tente não se envolver com a garota pelo seu passado obscuro, ela acaba não lhe dando quaisquer brechas de fuga. 

Uma das coisas que mais me encantou no livro foi, de longe, a profundidade e valor dados a cada um dos personagens da história. Lu Piras soube moldar e desenvolver o pano de fundo de cada um deles, e criar personalidades fortes e palpáveis fielmente seguidas ao longo da narrativa, mas sem deixar de lado o amadurecimento natural de muitos deles. Bianca, por exemplo, me irritou um pouco, à princípio, pela postura despreocupada em seus relacionamentos e, mais tarde, ao descaso com seu próprio talento, quase não aceitando a viagem sugerida pelos pais. Sua insegurança era latente, mas uma vez que ela se encontra em contato com novas pessoas e culturas, ela começa a se enxergar de uma forma diferente, e, consequentemente, aqueles que estão ao seu redor. Apesar de algumas atitudes impulsivas e desmedidas em alguns momentos, foi muito claro acompanhar seu amadurecimento ao longo do livro.

No que diz respeito ao romance, devo dizer que Paul e Salvatore me surpreenderam. Fazia tempo que eu não me deparava com um anti-herói em um romance, e a Lu foi certeira ao desenvolver um personagem assim, que de mocinho, só tinha mesmo o sentimento sincero em seu coração. Salvatore teve uma infância difícil e uma sucessão de acontecimentos ainda mais inusitados e perigosos ao longo de sua juventude, e se envolver com Bianca é a última coisa que ele quer no momento - para o bem dela. Nesses momentos está a fagulha de esperança ao relação a um personagem que ao mesmo tempo em que conquista o leitor, também nos deixa com um pé atrás, pois desconhecemos sua biografia por completo até certo ponto, e a partir de seu conhecimento, já não sabemos mais o que ele é ou não capaz de fazer, dadas as circunstâncias. Paul, por outro lado, é descrito como um rapaz mimado que vive no luxo adquirido pelo pai, como produtor, e cuja fama de encrenqueiro já é conhecida na mídia.

Para ambos os personagens, porém, temos a realização de um romance inesperado, que não necessariamente corresponde ao "mar de rosas" de muitos romances por aí. Seguindo uma linha diferenciada, Lu Piras retrata um romance onde a beleza se encontra no sentimento verdadeiro, mas cujos mocinhos, tanto Paul como Salvatore, não chegam perto de nenhum príncipe encantado. É uma visão mais realista do romance, sem tantos devaneios e suspiros apaixonados, mas por entre cargas intensas de emoção e adrenalina. No entanto, curiosamente, isso também não tirou o romantismo natural do enredo, presente nas entrelinhas e na superação dos altos e baixos percorridos em busca do verdadeiro amor. 

“Eram cinco contra cinco. […] Bianca sabia qual era o lado do bem e qual era o do mal. E sabia, também, que o lado do bem poderia cometer erros tentando acertar.”

Os demais personagens, como já disse, também foram muito bem moldados e desenvolvidos, cumprindo seus papéis com maestria ao longo do enredo. As colegas de quarto de Bianca, Mônica, uma brasileira, e Natalya, uma russa, foram duas que se sobressaíram bastante; a primeira por seu carisma e docilidade naturais, que acaba se mostrando uma grande amiga para Bianca, e a segunda por seu jeito despreocupado e inconsequente, que apesar de nos irritar e dar aquela sensação de pé atrás, no fim das contas, mostra-se dona de um bom coração, ainda que não goste de demonstrar isso. Outros personagens como os pais de Bianca também cumpriram uma presença muito positiva. Apesar de aparecerem em poucos momentos e terem vidas naturalmente corridas, Helena e Ronaldo deram todo o suporte de carinho, dedicação e valor à filha, sendo os principais incentivadores do seu sonho, entre outros que é melhor conhecer ao vivo, durante a leitura. 

No final, Um Herói para Ela provou-se, de longe, um dos romances mais marcantes e intensos que já li, e parabenizo a autora pela desenvoltura firme do enredo, e por ter criado personagens tão cheios de vida. Retratando um romance conturbado, mas não menos sincero, Lu Piras conclui o livro com à medida certa entre o clichê e o imprevisível. Fiquei apenas um pouco chateada porque, no desfecho, queria saber como alguns outros personagens haviam ficado, depois de tudo que passaram - porque, sinceramente, a gama de acontecimentos do livro é grande e intensa -, mas, fora isso, o final não deixou a desejar. É uma ótima opção para quem procura um romance mais cheio de altos e baixos, não tão fácil e nem tão certinho, mas que certamente se prova uma grande história no final.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!