Noticiário Literário: Editora Sextante (Lançamentos - Janeiro 2015) - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Noticiário Literário: Editora Sextante (Lançamentos - Janeiro 2015)

Noticiário Literário: Editora Sextante (Lançamentos - Janeiro 2015)

20/01/2015


A violência verbal pode ser tão sutil que às vezes nem percebemos que somos alvo de um agressor. A tristeza, o incômodo e o mal-estar nos fazem sentir que há algo errado, mas acabamos achando que a culpa é nossa.
As agressões podem se apresentar de diversas formas: menosprezo ou ataque de raiva, indiferença ou demonstração de superioridade, sarcasmo ou distanciamento, coerção manipulativa ou exigência irracional.
Afirmações como “Você está gorda”, “Você nunca entende nada”, “Não pedi sua opinião” e “Você só fala besteira” são exemplos de utilização das palavras como armas – e, em geral, são bastante ouvidas pelas vítimas de abuso. O primeiro passo para se libertar dessa situação é se conscientizar de que você não merece ouvir isso.
Portanto, atenção: se você se relaciona com alguém que costuma fazer comentários ofensivos a seu respeito, mas alega que está brincando, você está com um agressor. Se essa pessoa não se dispõe a escutar seus sentimentos e o trata como inferior, você está sendo vítima de agressão.
Este livro foi o primeiro a descrever os relacionamentos com violência verbal, ainda na década de 1990. Desde então, milhares de pessoas que sofriam caladas puderam reconhecer que a angústia a que eram submetidas não era “normal”, e sim um reflexo de um comportamento abusivo que deve ser enfrentado e combatido.
Apresentando histórias reais, estratégias objetivas e questionários de autoavaliação, Patricia Evans traz informações essenciais para ajudar você a enfrentar o agressor de forma segura e a proteger sua família dos efeitos negativos desses relacionamentos problemáticos.


Um enorme shopping estava prestes a ser construído na cidade americana de Seattle, mas no meio do terreno havia a casinha de Edith Wilson Macefield, uma velhinha durona que estava decidida a não arredar pé dali. Quando o responsável pela obra, Barry Martin, foi conversar com ela, todos acreditaram que iria convencê-la a mudar de ideia. Mas estavam redondamente enganados.
Nesta emocionante e singela história real — que serviu de inspiração para uma campanha de divulgação do filme Up: Altas aventuras —, Barry conta como nasceu a inusitada amizade entre ele e Edith, e as lições de vida que aprendeu com ela.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!