Resenha: Amaldiçoado - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Amaldiçoado

Resenha: Amaldiçoado

13/03/2015


Título: Amaldiçoado
Edição: 1
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413595
Ano: 2015
Páginas: 320
Avaliação:  
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora.
Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim. Joe Hill, autor de A estrada da noite e Nosferatu, já foi aclamado como um dos principais novos nomes da ficção fantástica. Em Amaldiçoado, o sobrenatural é pano de fundo para uma história de amor e tragédia, de traição e vingança. Um livro envolvente, emocionante e cheio de suspense que nos leva a refletir: em matéria de maldade, quem é pior, o homem ou o diabo?
Não é segredo que Joe Hill é um dos meus autores prediletos, gosto do estilo de sua escrita, seus personagens fortes e significados diretos e indiretos que seus livros trazem. Joe é um ícone do horror, assim como seu pai, suas obras levam o leitor ao extremo, sensibilizando e ao mesmo tempo deixando aquela marca que os livros de suspense trazem. Ler Amaldiçoado foi uma experiência diferente se comparado a Estrada da Noite e Nosferatu, esses dois por sua vez, trazem mais pânico e terror que Amaldiçoado. Apesar de o livro ser um suspense, não temos aquele medo a qual as demais obras de Hill trazem, até porque, Amaldiçoado a meu ver, veio para revelar o quão mau o homem é, até que ponto vai a nossa maldade.

Depois de uma noite de blasfêmia, injuria e álcool, Ig acorda com uma surpresa, chifres nasceram em sua cabeça! Desorientado e desesperado por ajuda, Ig tenta fazer com que Glenna o ajude a ir ao médico, mas no momento que ela o vê, as coisas mudam. Glenna lhe confidencia situações embaraçosas e segredos obscuros, conta como quer se ver livre de Ig e que não suporta mais o peso que sua presença causa. Mas Glenna não é a única que parece querer confessar seus pecados a Ig, até mesmo o padre lhe conta as pavorosas situações que pensa e executa. Ao perceber de que alguma forma os chifres agem influenciando as pessoas, Ig tem a chance de saber tudo, as revelações são dolorosas, mas nada pior do que a morte de sua namorada Merrin.

Ig e Merrin tinham um relacionamento forte, tinham planos e sonhos, mas tudo acabou quando a jovem foi brutalmente assassinada. Ig foi considerado o principal suspeito, mas ele jamais faria mal a Merrin e mesmo sem provas, a cidade inteira acredita que Ig realmente a matou. Cada confissão que as pessoas revelam, lhe dá a certeza de como é odiado por algo que jamais cometeu, quando em fim chega à casa de seus pais para tentar buscar ajuda e conforto, mais ódio e rancor, o poder dos chifres, do demônio que Ig é, afetam a qualquer um. No entanto, a confissão de seu irmão Terry abala seu intimo. Terry sempre soube quem é o assassino de Merrin, ele não poderia contar, mas agora com a influência de Ig, o peso desse segredo finalmente foi embora.

Louco atrás de vingança, Ig percebe que ser o Diabo tem as suas vantagens, mas o segredo sobre Merrin é apenas o começo, a maldade humana vai além de sua compreensão.

Amaldiçoado é narrado é terceira pessoa e divido em cinco partes, os capítulos são curtos e a elaboração de toda a história, personagens e mistério, dão um toque a mais na obra. Hill deu espaço para que seus personagens secundários pudessem crescer dentro da trama, mesmo sendo uma história sobre Ig, temos também  a inserção de informação sobre aqueles que são importantes dentro de todo o contexto e como influenciaram no desfecho tanto de Merrin, como de Ig. Fiquei surpresa ao finalizar a leitura, constatei que diferente dos outros livros de Hill, em Amaldiçoado, eu não senti aquele medo, claro que teve os momentos de tensão, característicos do suspense, mas nada que de fato me deixasse em alerta, ou me assustasse, Amaldiçoado a meu ver é um romance que mescla um pouco de suspense e traz muito horror, Joe mostra as facetas de seus personagens, suas maldades e atos impensados, eu fiquei impressionada com a crueldade de muitos, principalmente de Lee, um dos personagens mais importantes da história. 

Não digo que ao comprar Estrada da Noite, Nosferatu e Amaldiçoado, este último seja inferir, pelo contrário, ambos trazem a genialidade de Joe Hill, mas a história de Ig é tão única, marcante, que é complicado falar sobre ela. Estrada da Noite e Nosferatu estão em um patamar igual, são livros de suspense que realmente lhe darão medo e farão você dormir de luz acessa, mas Amaldiçoado apesar de não trazer essa sensação, não deixa de ser igualmente maravilhoso. O bom nas obras de Hill são que ele consegue fazer com que o leitor se sinta parte daquilo que lê, sua escrita é fluida e envolvente, os personagens otimamente construídos e o fim, sempre te deixa surpreso.

Vale ressaltar que orginalmente quando foi publicado aqui no Brasil, Amaldiçoado veio como O Pacto, a capa também era diferente, a obra foi relançada para o lançamento do filme Horns, mas em minha opinião, essa segunda edição (tanto capa, quanto título), assemelha-se mais a proposta do enredo, particularmente, a arte da capa me conquistou, o título faz jus a trama, nada contra a primeira edição, mas para mim, não há um fator negativo nesta reedição. Falando a respeito do trabalho da editora, a qual também foi responsável na edição um, a revisão e a diagramação estão boas, sem erros e simples, exatamente como a história pede.

Ao final dessa leitura, eu estou ansiosa (mesmo não tendo curtido o trailer) para conhecer o filme e ver até que ponto a adaptação conseguiu transformar essa trajetória intensa de Ig. Para aqueles que gostam do gênero, ou querem conhecer, recomendo a leitura, Joe Hill é um autor fantástico, impactante e suas histórias viciantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!