Resenha: Diário de um Adolescente Apaixonado

17/03/2015

Título: Diário de um Adolescente Apaixonado
Edição: 1
Autora: Rafael Moreira
Editora: Novas Páginas (Novo Conceito)
ISBN: 9788581636849
Ano: 2015
Páginas: 128
Skoob
Avaliação:  
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: Ele suou frio quando deu o primeiro beijo. Já sofreu bullying na escola. Já gostou de quem não gostava dele. Sente muita falta de quem foi embora. Já brigou com a namorada por Whatsapp e depois pediu desculpas. Ele não troca os amigos por ninguém. Se bem que amigo, AMIGO mesmo, pra ele, é a família.
Em 24 crônicas bem-humoradas (claro), o Rafa conversa com a gente como se estivesse bem pertinho. Acostumado a mostrar o rosto na internet, ele criou coragem e começou a escrever sobre as situações da sua infância, sua relação com a família, com as meninas, com os amigos. De cada história, ele tirava uma reflexão sobre as mudanças que já aconteceram na sua vida e o que ele aprendeu com elas. O resultado está aqui, neste livro que você vai ler e depois abraçar bem apertado.
Em seu livro de estreia, Rafael Moreira, já muito conhecido no youtube, com mais de 2 milhões de seguidores, e uma página de sucesso intitulada Me Apaixonei, descreve, em 24 crônicas descontraídas, mas não menos atenciosas e, por vezes, reflexivas, situações corriqueiras da adolescência, expondo seus pensamentos e ideias sobre assuntos que vão desde amor, amizade, família e autoestima, em uma narrativa bem-humorada que ganha o leitor e cuja identificação, em muitos momentos, é inevitável.

Confesso que não sou 100% leitora de crônicas. Tenho, apenas, meus momentos em que quero algo mais leve e resolvo, então, optar por elas. No caso desse livro, porém, vai um pouco mais além, visto que ele tem tido uma boa repercussão e, apesar de só ter conhecido o rapaz e seu trabalho com a divulgação do seu livro, fiquei bem interessada em ler algo escrito por alguém da minha idade, que certamente vai saber cativar os jovens por escrito, uma vez que pensa e passa por muitas situações naturais da adolescência. Esperava encontrar uma leitura leve e descontraída que apagasse um pouco os dramas maiores, e surpreendi-me, positivamente, ao encontrar não apenas isso, assim como uma exploração muito firme sobre os temas abordados, e a fluidez com que tudo se desenvolve.

“Cada um de nós tem sua própria guerra pessoal, e precisamos vencê-la com honra.”

O desenvolvimento foi tamanho que, nesse caso, vi-me refletida em alguns pensamentos e ideias ao longo das vinte e quatro crônicas, fazendo da leitura ainda mais envolvente e agradável, por prender tão facilmente a minha atenção à situações que, apesar de corriqueiras da fase, são atemporais e, portanto, mesmo quem já passou da idade, vai conseguir se conectar com a leitura e se identificar de alguma forma. Até porque certas coisas como o amor, a amizade e a família perduram mesmo muito depois da adolescência, e enquanto desenvolve seus pensamentos à respeito, o autor se mantém muito firme em suas opiniões, mas sem deixar de lado a narrativa jovem, que é tão espontânea ao ponto de nos dar a sensação não de estarmos lendo o texto de Rafael, mas sim ouvindo-o conversar com o leitor, na maior naturalidade.

“Nunca é tarde para recomeços. Pior que errar é não querer mudar.”

Mas, ok, algumas poucas crônicas me deixaram uma leve sensação de pretensão, o que me levou a não aproveitá-las ao máximo, nesse caso. No entanto, isso não tira o brilho da maioria, que definitivamente conseguiu me cativar de muitas formas diferentes e senti a leitura valer muito a pena nesses momentos. Tanto, inclusive, que cheguei a me emocionar e mesmo chorar lá pelas últimas dez páginas do livro, e me deixaram com um sorriso no rosto à conclusão da leitura. Também não posso deixar de falar sobre a diagramação e o design geral do livro, que, à propósito, está muito bem feito. Algumas páginas possuem panos de fundo diferentes para introduzirem determinadas crônicas logo na página seguinte, mais algumas ilustrações em desenho do autor espalhadas por entre os inícios de cada crônica. Achei apenas um pouco cansativo, porém, a repetição de alguns trechos de crônicas em outras, o que quase quebrou alguns climas específicos dos temas abordados, mas nada que afetasse realmente a leitura.

Depois de tudo isso, só posso concluir que Diário de um Adolescente Apaixonado é uma leitura leve, gostosa e certeira para fugir de climas pesados, com crônicas cuja identificação acontece facilmente, e que, apesar da pouca idade do autor, não se restringe apenas à adolescentes. Foi, sem dúvida alguma, uma leitura que eu gostei muito de fazer e espero poder conferir novos escritos do Rafael caso venha a lançar novos livros. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!