Resenha: Uma Loja em Paris - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Uma Loja em Paris

Resenha: Uma Loja em Paris

14/05/2015


Título: Uma Loja em Paris
Edição: 1
Autor: Màxim Huerta
Editora: Essência
ISBN: 9788542204704
Ano: 2015
Páginas: 256
Avaliação:  
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: Num dia qualquer, quando andava sem rumo pelas ruas de Madri, Teresa, uma órfã rica que vive sob o rígido controle de sua tia Brígida, se vê impelida a entrar em um antiquário, atraída por uma tabuleta de uma antiga loja parisiense de tecidos. De volta ao seu apartamento, após fixar a tabuleta em seu escritório — que compra sem saber muito o porquê —, a jovem é atormentada por uma série de sensações, percepções e visões que, ao que tudo indica, fazem referência à dona da tal loja, Alice Humbert, que viveu na Paris dos anos 1920. Quem terá sido essa mulher e por que a sua história agora lhe bate à porta de uma maneira tão intensa, Teresa se pergunta. Sem perder tempo, ela parte em busca das respostas na mágica, romântica e colorida capital francesa, para onde se muda. Inspirado pelos “anos loucos” vividos na Paris de Hemingway, Modigliani, Coco Chanel e Paul Poiret, o jornalista espanhol Màxim Huerta apresenta uma história de amor que resistiu ao tempo e transpassou décadas até atingir em cheio o coração de Teresa.
Não há como negar, Uma Loja em Paris é mágico, possuiu uma escrita bonita e interessante, pelo fato de se passar em Paris, dá um apego a mais na história. No entanto, mesmo com a escrita gostosa e fluida do autor, ao final, também conclui que o enredo foi um tanto confuso e deixou várias pontas soltas. Gostei bastante da proposta do livro, o mistério em volta da tabuleta de Alice e a conclusão da história de Teresa foi boa, mas mesmo assim, terminei a leitura com aquela sensação de dúvida, de que faltou alguma coisa a mais. 

Teresa é uma jovem marcada pela dor, perdeu os pais cedo e seu único amor, foi embora há muito tempo, sem ela ter tido a chance de saber os motivos. Sendo criada por sua tia rigorosa, Teresa sente que sua vida é um mar de cinza, falta cor em seus momentos, como se alguma coisa estivesse faltando para dar aquele brilho especial. Cansada da rotina e das regras que lhe são impostas, Teresa decide fazer algo diferente e após ser atraída a comprar uma antiga tabuleta de uma loja em Paris, ela sabe que de alguma forma, esse item esta lhe influenciando.

É inexplicável a forma que a tabuleta lhe atraiu, parecia ter algo forte, que emanava felicidade, Teresa sente que a dona dessa loja, Alice, a esta chamando e esta sensação se intensifica quando eventos estranhos passam a lhe fazer companhia. Decidida a conhecer o passado da dona da tabuleta, Teresa vai até Paris, compra a loja que pertenceu a Alice e encontra vestígios de quem era essa figura misteriosa e marcante que foi Alice Humbert. 

Sempre que um enredo apresenta esse toque de mistério, fico curiosa para saber o que esta acontecendo e esse foi um dos motivos que me levou a querer ler Uma Loja em Paris. Como comentei acima, eu gostei do livro, o modo como o autor tratou de mostrar a fragilidade e medos de Teresa, além de Alice, foi muito legal, mas mesmo assim, boa parte desse relato ficou confuso.

O livro é narrado em primeira pessoa, começando com a narrativa de Teresa e de repente, surge à narrativa de Alice, tive que prestar muita atenção quando essa mudança começou, pois até então pensei que apenas Teresa seria a narradora, além disto, muitos pontos sobre ambas as histórias (Teresa e Alice), ficaram com pontas soltas, compreendi boa parte do que o autor queria passar, só mesmo assim, é como se tivesse uma peça faltando em todo esse quebra-cabeça.

Mesmo com as ressalvas acima, recomendo a leitura, a história é bonita e acredito que o problema tenha sido eu que não compreendi algo em todo o enredo. Por tanto, aconselho que tirem suas próprias conclusões. Outro detalhe que deve ser mencionado é a respeito do trabalho editorial da Essência, a fonte escolhida é bonita, com um tamanho ótimo para a leitura, a diagramação simples, porém perfeita para proposta do livro e a revisão excelente! 

Quem gosta de romance com fundo histórico e ressalto que boas partes dos lugares citados em Uma Loja em Paris realmente existem, vai gostar bastante da obra de Máxim Huerta, a mágica de Paris lhe transportará para uma história cheia de romance, segredos e paixão. 

4 comentários:

  1. Oii
    Eu tenho ouvi falar muito bem desse livro, que pena que nao gostou tanto. Eu amo livros que falem de Paris.
    Acho que mesmo assim ia quere ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olaaa
    Não tinha ouvido falar do livro mas fiquei bem atraída pela leitura, gostei muito da capa e da sua resenha, ficou ótimo.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  3. Ei, não conhecia esse livro e fiquei muito curiosa para lê-lo. Também adoro livros que tem um mistério embutido, dá um charme especial a história. Adorei a sua resenha :D

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  4. Oi Sammy tudo bem?

    É horrível quando lemos um livro e ele deixa aquele ar de duvida né não sei se leria esse livro, tem resenha dele no blog mas quem leu foi a Mari e ela até que gostou bastante da leitura.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!