Resenha: Eu Vejo Kate - Cláudia Lemes

14/11/2015


Edição: 1
Editora: Empíreo
ISBN: 978-85-67191-14-0
Ano: 2015
Páginas: 352
Avaliação: 
Sinopse: A HISTÓRIA RECOMEÇA
Há um ano, Blessfield, uma pacata cidade do interior da Flórida, enterrou 12 mulheres vítimas do violento e cruel serial killer Nathan Bardel. Ele foi julgado, condenado e morto. Mas antes que as feridas da cidade pudessem cicatrizar, um novo assassino em série surgiu. Mais violento. Mais cruel. Usando o mesmo método que seu antecessor. E ele tem uma obsessão: ela
ALVO NA MIRA
Kate é uma escritora imersa na produção da biografia do assassino em série Nathan Bardel. Enquanto ela mergulha de cabeça na sombria vida do serial killer, ele próprio passa a acompanhá-la vivenciando as experiências conturbadas de sua biógrafa. À medida que se aprofunda nos mistérios de Bardel, Kate desperta outro assassino. Ela não sabe, mas sua vida corre perigo.
SERIAL KILLER X SERIAL KILLER
Desde que Kate decidiu escrever a história de sua vida e de seus assassinatos, Nathan Bardel percebeu que mesmo depois de morto, poderia acompanhá-la. Ele vê Kate. Ele lê Kate. Ele a decifra enquanto ela o investiga. Quando Nathan descobre que um novo assassino está imitando seu método e assassinatos, fica furioso. Aquilo tudo lhe pertencia, foi sua criança e ninguém estava a altura de copiá-lo. Agora ele tem uma nova meta: encontrar o imitador.
CAÇADOR DE MONSTROS
Um agente especial do FBI que tem a capacidade de observar a cena de um crime e definir o perfil do criminoso, Ryan é um dos melhores profilers do país. Mas toda sua experiência será colocada à prova na busca pelo serial killer que não deixa pistas. Expert em Bardel, e envolvido com Kate, o detetive com um passado sombrio se vê mais uma vez numa investigação que pode terminar de forma trágica.
Eu Vejo Kate, possui todas as características de que gosto, é um romance policial, tem mistério, suspense e tensão, eu sabia que iria me envolver com esta leitura, sabia que iria gostar, afinal, o gênero policial é o meu favorito e Eu Vejo Kate foi muito elogiado, mesmo na sua versão independente, quanto na versão publicada pela editora Empíreo. Mas não imaginei que eu fosse ficar tão chocada e sentida com essa leitura, Eu Vejo Kate é um livro intenso, com uma história forte, que abala o leitor, houve momentos que precisei parar um pouco a leitura, para respirar e sair neste universo, pois me abalei muito com o que senti, vi e convivi com essa história. Cláudia Lemes é uma escritora incrível, tanto por sua história, quanto pelo trabalho que fez para criar todo enredo, sua pesquisa e estudo, fez com que essa obra tão incrível nascesse e sim, eu adorei Eu Vejo Kate, foi uma experiência diferente se comparada com outras leituras que tive do gênero, é um livro que te marca de uma forma única, intensa e poderosa.

Kate Dwyer possui um projeto audacioso: Escrever a biografia de Nathan Bardel, O Esfaqueador de Damas. Nathan chocou a cidade de Blessfield, ao matar e estrupar doze mulheres, ele torturou cada vítima, deixando um rastro de sangue e violência. Nathan foi condenado e morto por seus crimes e Kate pretende ir a fundo nesta história, para criar de forma mais precisa a vida de Nathan Bardel. Após a decisão de Kate, Nathan esta de volta e ele segue os passos da escritora, consegue sentir seus sentimentos, suas emoções e ele esta feliz por Kate escrever sua biografia. 

Kate mergulha à fundo em sua pesquisa, ela quer tentar compreender quem foi Nathan Bardel, mas sua jornada acaba se transformando em um pesadelo, afinal, outro assassino surgiu e possui as mesmas características mortais de Nathan e essa pessoa tem um interesse profundo em Kate.

Ryan Owen é um ex-agente do FBI, é especialista no caso Nathan Bardel e conduziu as investigações, com um novo assassino à solta, ele precisa entrar no caso, somente ele pode capturar esse serial killer antes que seja tarde demais. 

Nathan Bardel esta furioso e pretende encontrar a pessoa que o imita, ninguém pode se comparar a ele, a seus métodos, Nathan Bardel foi único e saber que alguém o está copiando, lhe deixa com ódio, muito ódio.

Eu Vejo Kate é narrado em primeira pessoa, pelos personagens, Nathan, Kate e Ryan, e cada narrativa é intercalada, aonde o leitor pode conhecer mais a fundo os pensamentos e emoções deles, além disto, os pontos das narrativas se conectam e nos dão as respostas para os ganchos dessa história. De uma forma geral, a autora conseguiu manter o mistério sobre o novo assassino até seu clímax, no entanto, os leitores mais atentos, acabam descobrindo a resposta desse segredo antes (descobri com uma pista deixada na narrativa do Nathan, fui sutil, mas assim mesmo foi certeira, matei a charada antes que fosse revelado). Outro detalhe que preciso mencionar, é a respeito do teor violento do livro, Eu Vejo Kate, não é um livro para qualquer leitor, você precisa ter estomago forte, pois não é poupado nada, temos uma violência insana e cruel, fiquei enojada em algumas partes e extremamente chocada em outras, acredito que a intenção da autora fosse essa, de chocar seu leitor, de deixar as emoções a flor da pele e sim, eu senti isso a cada instante que lia Eu Vejo Kate, por isso, reafirmo, se você é um leitor mais sensível, talvez esse livro não lhe seja indicado. 

Além da violência, outros assuntos são trazidos à tona nesta história, como depressão, estupro e negligência, Cláudia Lemes foi a fundo em cada um deles e este detalhe realmente me surpreendeu, pois vemos o quanto a autora se dedicou para criar sua obra, para mostrar como o ser humano pode ser cruel e sim, existem pessoas como as relatadas no livros e isto me deixa apavorada.

Um aspecto da história que não gostei muito foi o romance, ficou um pouco forçada a relação amorosa que a autora inseriu em Eu Vejo Kate, talvez fosse para deixar o enredo mais leve, mas assim mesmo não consegui gostar desse ponto em especial, compreendo que os personagens precisavam um do outro talvez, e isto os aproximou e daí surgiu o romance, mas assim mesmo, não me pareceu, digamos, natural, mas sim algo forçado para estar na história. Agora o que senti que poderia ter sido mais aprofundado é a história sobre Nathan, tanto do seu passado e crimes, eu queria saber mais sobre a história de sua família, principalmente da irmã de Nathan (que tem um papel interessante no enredo), mas mesmo assim, Eu Vejo Kate foi além do que eu esperava, foi uma leitura sem igual. 

Claudia Lemes possui uma escrita fluida e envolvente, ela sabe como jogar com as palavras, rapidamente o leitor adentra ao mundo de Eu Vejo Kate, ficando tão envolvido, que sente cada aspecto do enredo e isto é sensacional! Antes de finalizar a resenha, vou comentar um pouco sobre o trabalho editorial, que está impecável, a diagramação ficou muito boa, a fonte escolhida é confortável para leitura, as páginas são amareladas e a revisão ótima; A capa produzida pela Empíreo traduz muito bem o enredo de Eu Vejo Kate e gostei bastante. 

Enfim, se você procura um bom romance policial para ler, Eu Vejo Kate será uma excelente escolha, o enredo de Cláudia Lemes é sensacional, cada página te conquista mais e mais.

6 comentários:

  1. Sammy!
    Gosto demais de romances policiais e fazia tempo que não via um tão bom quanto esse, apesar do romance não ser lá essas coisas, ao menos o mistério dos estupros e etc parece ser bem intrigante.
    “Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Sammy!
    Adoro os romances policiais e fazia tempo que não via um com enredo tão bom onde há estupros e violência, etc... mesmo que o romance em si não seja lá essas coisas.
    Me parece instigante, intrigante e cheio de tensão e quero poder ler.
    “Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sammy!
    Gente, aonde vou, só tem elogios pra esse livro. Necessito mais que nunca.
    Às vezes, a introdução de um romance num livro de suspense é forçada mesmo porque eu acho que não tem clima pra isso.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Olá!!
    Essa mulher é só coragem viu , Deus é mais morro de medo de serial Killers, nem demônios me deixam mais sem sonos que os serial Killers, e Kate ai pesquisar um dos piores que há e ganha de brinde a obsessão de um imitador , aff a me arrepia ler sua resenha, mais quero lero liro sim porque fiquei muito curiosa. Adoro romance ,mais tem historias que de fato não tem necessidade de ter um romance, e pelo que percebi em sua resenha esse é um desses casos e a coisa fica meio forçada.
    Bjocas

    ResponderExcluir
  5. Olá, Sammy.
    Eu amei esse livro. Mas agora lendo sua resenha achei interessante os pontos que você abordou. Eu teria gostado muito de ler mais sobre Bardel e sua família. Quanto ao romance, acho que não foi bem um romance, mas uma aproximação por necessidade do momento que acabou virando algo mais.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Uau!!!! Quero esse livro pra ontem. Um psicopata é incrível, dois é pra quebrar tudo. Quero mesmo. Amei sua resenha!

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!