Resenha: Aprendendo a Seduzir - Patricia Cabot

18/04/2016


Edição: 2
Editora: Essência
ISBN: 9788542206777
Ano: 2016
Páginas: 368
Skoob
Avaliação:        
Onde Comprar: Submarino, Saraiva, Ponto Frio, Casas Bahia e Amazon
Sinopse: O que qualquer mulher faria se flagrasse o noivo aos beijos com outra mulher?
Cancelaria o casamento e nunca mais colocaria os olhos no desalmado traidor. Certo?
Não lady Caroline Linford.
Apaixonada pelo belo e galante marquês de Winchilsea, ela não se dá por vencida e resolve ir em frente com o casamento. Afinal, lady Linford ama seu prometido.
Com o intuito de se tornar o único objeto do desejo de seu noivo, ela convoca o renomado Braden Granville, mestre na arte da sedução, para, com ele, aprender a ser a melhor amante que Winchilsea pode vir a ter.
Porém, a aluna se torna tão aplicada que arrancará mais que elogios de seu professor...
Romance de Época é um gênero que aparece raramente no blogue, normalmente, são poucos os títulos que acabam chamando minha atenção, mas assim mesmo, esse é um gênero que eu considero bem interessante de ler, suas histórias românticas com pitadas de sensualidade e humor, são uma opção mais leve e descontraída para o leitor, por isso, quando me deparo com uma obra do gênero, a qual desperta meu interesse, acabo decidindo ler, que foi o caso de Aprendendo a Seduzir. Escrito por Meg Cabot, com o seu pseudônimo Patrícia Cabot, este foi o segundo livro que li da Meg como Patrícia e confesso que Aprendendo a Seduzir me conquistou muito mais que o anterior. Com um enredo cativante, cenas de humor e personagens carismáticos, Aprendendo a Seduzir é um livro gostoso de ler e que facilmente o leitor irá se encantar com ele. Apesar de alguns clichês típicos do gênero, a qual vou me aprofundar logo mais, Aprendendo a Seduzir cumpre com seu papel, nos entregando uma história de amor com muita comédia, vilões odiosos e uma mocinha bem peculiar.

Caroline Linford vai se casar com o Marquês de Winchilsea, pelo menos era o esperado, até que a jovem encontra o noivo em uma situação comprometedora com outra mulher! Caroline não poderia imaginar como um homem poderia preferir outra, que não fosse aquela que escolheu para ser sua esposa, mas seu marquês estava aos beijos e muito mais com outra pessoa e ao constatar a dura realidade, Caroline sente-se devastada. Ao procurar os conselhos da mãe, a moça tem um choque de realidade quando a matriarca lhe diz que é comum que um homem tenham uma amante e que se ela quisesse superar essa situação, que desse um jeito de seduzir o próprio noivo.


Apesar das duras palavras da mãe, Caroline decide seguir seu conselho, mas como aprender a arte da sedução? Como iria conseguir que alguém lhe ensinasse como fazer amor ou melhor, como seduzisse um homem? Com a fama de conquistador de mulheres Braden Granville fica chocado ao ser o “escolhido” por Lady Caroline a ser seu “mestre”, no entanto, a moça tem uma carta na manga, ela possui uma informação valiosa, que poderá ajudar Braden com seu “problema”, mas será que ele estaria disposto a lhe ensinar a amar?

Braden Granville, mais conhecido como o Lothario de Londres, é pego de surpresa com a tentadora e louca proposta de Caroline Linford, mas ela é a chave para que ele possa se ver livre de uma víbora que um dia julgou amar. Noivo de Lady Jacquelyn Seldon, a qual ele desconfia de uma traição, Granville tenta de todas formas encurralar a noiva e seu amante, mas ambos são esguios, principalmente o amante, que mais parece um fantasma... Com suas tentativas fracassadas de desmascarar Jacquelyn e com o casamento cada dia mais próximo, Braden resolve arriscar tudo aceitando a proposta de Lady Caroline, que lhe garantiu ser sua testemunha em uma ação contra a noiva infiel, afinal, Caroline afirmar ter visto os amantes juntos! 


No entanto, Caroline e consequentemente Braden, acabam aprendendo muito mais do que o planejado, ambos não conseguem conter a paixão que lhes consomem, principalmente quando as lições arrancam mais do que apenas elogios.

A principio, quando li a sinopse de Aprendendo a Seduzir, considerei bem ousada e diferente, me perguntando como Caroline poderia aceitar ser traída e ainda sim querer conquistar o noivo, que aparentemente, não a amava, mas claro, que há um motivo por detrás da convicção de Caro, de querer insistir em alguém que não a quer, no entanto, essas questões e principalmente, por querer agradar os outros, acabou-me deixando um pouco irritada com Caroline, afinal, demorou para que ela finalmente se desse conta do que realmente importava e em meio a isso, acompanhamos seu drama, seja em relação ao noivo, a sociedade e a família. 

Caroline por mais que tenha crescido ao longo do livro, principalmente no final, a qual uma cena em particular me surpreendeu, pois eu não esperava isso dela, é aquela típica personagem feminina recatada, frágil, uma donzela, ou como Braden lhe atribuiu, “virginal”, confesso que ri bastante com as discussões dos dois, principalmente quando ele usa esse termo para definir Caroline, que sente ofendida, mas por mais que seu jeito doce e meigo, seja um ponto bom, Caro acaba sendo muito clichê em boa parte do enredo, o que acabou decepcionando um pouco, mas apesar disto, Aprendendo a Seduzir nos apresenta uma história que realmente agradará o leitor, principalmente aqueles que são fãs de romances de época. A escrita de Meg é uma delícia, fluida e envolvente, ela descreve bem os personagens, as cenas e cenário, as partes mais sensuais, são românticas e nada vulgares, até mesmo os termos empregados pela autora, deixam essas cenas mais singelas, apesar de serem ao mesmo tempo quentes. 


O ponto alto do enredo, pelo menos para mim, foi o desenvolvimento do romance, já mencionei algumas vezes, de que gosto quando os casais estão de descobrindo ainda, que ainda não percebem o quanto se amam e que foram feitos um para o outro, mas que fica nas entrelinhas, fazendo o leitor suspirar, afinal, os personagens estão aprendendo entre si, se descobrindo e consequentemente o amor que até então eles jamais imaginariam que sentiriam um pelo outro, é disto que como leitora eu gosto, nada daqueles romances instantâneos que estão cada vez mais em alta hoje em dia, ou melhor o “amor miojo”, sinceramente, não aprecio romances que levam o casal a isso, gosto de relações mais profundas, como descrevi acima e em Aprendendo a Seduzir foi exatamente isso que encontrei, Braden e Caroline, demoram a entender o quanto se amavam, aconteceu naturalmente e o leitor sabia o quanto esse amor era forte e para mim, isto foi o chamariz de Aprendendo a Seduzir, o que me deixou ainda mais encantada e envolvida com a história. 

Mas, se há algo que também ganhou pontos comigo, mesmo que seja para ser considerada uma das mais malvadas vilãs, é a Jacquelyn, a autora teceu bem a personalidade frigida e calculista da vilã, muitas vezes fiquei com raiva de Jack, conseguindo então, o posto de segunda vilã da literatura que mais odeio! Quando o vilão ou vilã de um livro de destaca tanto assim, fica impossível não querer menciona-lo, e Jacquelyn foi uma boa vilã, muitas vezes fiquei com pena de Caroline, principalmente quando Jack solta seu veneno, ou seja, para quem esperava que fosse apenas um simples romance, saiba que Aprendendo a Seduzir vai muito além e mesmo com alguns pontos a considerar, é uma história que recomendo a leitura, você ficará envolvido com a trama, irá rir com os personagens e suspirará com o romance, sem dúvidas, para quem busca um livro mais descontraído, leve, mas mesmo assim com muito a oferecer, aconselho a leitura de Aprendendo a Seduzir!

10 comentários:

  1. Oie...
    Não há nada melhor do que personagens bem construídos, e vejo que nesse livro eles estão de arrasar!
    Gostei bastante de sua resenha e mesmo esse livro não estando na minha zona literária de conforto, eu me senti cativada pela história e decididamente quero ler!
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hum... Olha só, acho que já sei o final e quando ele me parece previsível eu meio que me afasto um pouco, mas você elogiou tantooooo... Fiquei curiosa pelo desenrolar.
    Sou capaz de apostar que descobri o final já kkkkkkkkk
    Adorei o termo "Amor Miojo" eu detesto também não sabia que já havia um nome para aquilo kkkkkkk não tem nada mais forçado do que amar a pessoa já no segundo encontro! É demais.
    Vou guardar essa dica. Quem sabe mais pra frente! Não vou descartar não. Prometo!!!!

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  3. Oi Sammy, sua linda, tudo bem?
    Eu também li recentemente esse livro e também me diverti muito. Confesso que abri pensando saber o que encontrar e me surpreendi com o lado cômico do enredo. A naturalidade dela em falar e experimentar e descobrir sobre as artes do amor, é que contribuiu para isso, risos... Não vejo a hora de ler mais livros da autora. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sammy, eu tô pasma com essa história. Sério, só de ver que a mulher quer ir seduzir o tal noivo que a traiu já odiei tudo. Vi que você também não curtiu no inicio mas quando leu foi levando para outro lado, só que eu acho que ficaria com raiva a leitura inteira só por causa desse detalhe. kkk
    Adoro vilãs que merecem destaque. ♥
    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Eu adoro romances de época! Mesmo eles sendo clichês e mesmo sabendo que os mocinhos terminarão juntos, rs. Também adoro quando os personagens vão interagindo e vão descobrindo os seus sentimentos gradativamente e vão amadurendo, é muito gracinha!
    Quero muito ler um romance da Patricia Cabot pois adoro a escrita dela como Meg Cabot então espero gostar dela sob o pseudônimo de Patricia também ^^
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  6. Não curto romances de época por causa das cenas sensuais, e mesmo que as desse livro sejam românticas e nada vulgares ainda assim não quero ler. Se um dia eu me arriscar a ler algo que a Meg assinou como Patricia, vou escolher um livro que a premissa me atraia mais, já que não entra na minha cabeça que a mocinha encontre o noivo com outra e aí faça outro cara ensiná-la a fazer amor para continuar com o noivo traidor, ainda que tenha motivos para isso.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  7. O que eu mais tenho visto é resenha desse livro e a cada resenha a ideia de que ela quer seduzir o noivo traidor é mais inconcebível pra mim! Não me entra na cabeça essa situação de corno manso e espero que a explicação pra essa atitude seja ÓTIMA hahaha
    Espero que ela fique junto com seu "professor" no final também, o que ta na cara que acontece, mas sempre torço.
    beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi, flor!
    Eu gosto de romances de época, mas consigo contar nos dedos de uma mão quantos eu já li, hahaha
    Tenho uma amiga super fã da Meg, e ela sempre me recomenda esse livro. Acredito que os clichês são os responsáveis pelo sucesso desse livro. Essa é a terceira resenha que leio da obra em menos de uma semana, então to achando que é um sinal para eu comprar e ler xD Tô super curiosa para saber como tudo vai se desenrolar (principalmente porque os personagens foram tão bem construídos). A dica está muito mais do que anotada ♥

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  9. Ain, sei que é romance histórico e isso era "normal" na época mas não sei se teria estômago pra aguentar a personagem querendo seduzir seu noivo mesmo sendo traída por ele haha em contrapartida, fiquei interessada com o romance que você citou que vai se desenvolvendo com o livro, acho que eu poderia me surpreender com a leitura.
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sammy!
    Tenho curiosidade em outro livro da Meg como Patricia, mas ainda assim, por mais romântica que eu seja, não fui muito atraída de verdade por nenhum romance histórico; essa pegada mais sensual também não me agrada, então acabo passando a leitura para frente mesmo sem ler mais sobre ela, mas bom saber que mesmo com esses detalhes Aprendendo a Seduzir consegue ser uma boa história. Também não gosto nada desses 'instalovers' que vemos vez ou outra em alguns livros atualmente, e valorizo demais quando os autores constroem e desenvolvem mais calmamente a relação do casal, fica muito mais crível e fácil de se envolver e cativar, sem dúvida alguma.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!