Resenha: Não Fale com Estranhos - Harlan Coben

24/06/2016


Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 8580415713
Ano: 2016
Páginas: 304
Avaliação:    
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis.
Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira?
Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.
Intrigante e perturbador, Não Fale Com Estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.

A expectativa pode ser uma grande vilã para os leitores (ou não), depende muito de cada leitura, com Não Fale com Estranhos, novo livro do autor Harlan Coben, a expectativa foi um fator que talvez tenha me deixado esperando algo que não se concretizou no livro. Gosto muito de suspense e mistério, por isso a obra chamou minha atenção, além disso, o autor é bem elogiado e esta seria minha segunda experiência com um livro do Coben, o primeiro eu gostei bastante, mas pelo simples fato de que a dinâmica de A Toda Prova foi constante, se tornando uma leitura envolvente e cheia de ação, mas com Não Fale com Estranhos, senti que o enredo demorou demais para engrenar, fazendo com que a leitura ficasse muitas vezes tediosa e lenta, mesmo tendo o contato com a boa escrita do autor, faltou um “tempero” a mais em Não Fale com Estranhos, algo que de fato me surpreendesse ao longo da leitura. 

Adam Price leva uma vida perfeita ao lado de sua esposa Corinne e dos dois filhos, a família vive em uma pacata cidade, todos são amigos e o clima do lugar é maravilhoso, quem os vê, percebe o amor e a cumplicidade do casal, tudo parecia um sonho, daqueles com um belo final feliz; No entanto, tudo que Adam acreditou viver começa a ruir com a chegada de um estranho. Ele se denomina como um salvador, aquele que libertará Adam da mentira. A revelação e choque deixam Adam estarrecido, ele não podia acreditar nas palavras do estranho, como Corinne tinha coragem de mentir para ele?


Mas o segredo de Corinne era apenas a ponta de uma grande rede de mentiras, o Estranho gosta do seu trabalho, de desmascarar aqueles que mentem, tornar a vida mais verdadeira, mas para Adam esse segredo acaba com tudo que ele e Corinne construíram, viveram e compartilharam. Disposto a ir até o fundo dessa história, Adam confronta a mulher, mas para sua surpresa, ela não parece acuada, mas disposta a lhe dizer tudo sobre essa grande mentira, mas antes que ele pudesse enfim entender a verdade, Corinne desaparece... Quanto mais o nó dos segredos vai sendo desfeito, mais mentiras e traições surgem, só que Adam apenas quer uma única coisa: Encontrar Corinne. 

Chantagens, mentiras e assassinatos, a verdade realmente liberta? Qual a ligação entre Corinne e o Estranho? Muitas dúvidas surgem e cabe a Adam descobrir o que de fato esta acontecendo. Mas estaria ele pronto para as respostas de toda essa teia de mentiras? 

Harlan Coben, sabe como prender seu leitor em um grande mistério, este foi um dos principais fatores que me agradaram no livro, isto e Corinne, mas como ambos são interligados, era de se esperar que estes fossem os pontos altos da obra para mim e também o motivo de me prender na leitura, mas infelizmente, não consegui me conectar aos demais personagens e nem mesmo com a atmosfera do livro. Adam é o principal foco do livro, que aliais é narrado em terceira pessoa, no entanto, o personagem se mostrou totalmente sem atrativos, não consegui sentir empatia por ele e nem mesmo pelos demais, com exceção da Corinne e acredito que seja pelo fato de que faltou carismas nos demais personagens de Harlan, eles estavam ali apenas para unir o segredo ao enredo, mas era como se estivem ainda mais perdidos que o próprio protagonista.

Como mencionei no inicio da resenha, o enredo segue um ritmo lento, eu havia passado das 160 páginas e a história não engrenava, carecia de ação e surpresas, na verdade, muitos dos elementos usados na trama foram bem clichês, até o momento eu não vi nada de interessante e impactante no “segredo” de Corinne, que foi revelado logo no inicio do livro, mas minha grande curiosidade era saber como o autor iria empregar esse “segredo” no livro e suas consequências, por mais que fosse algo grave, eu ainda estava com dúvidas de como isto poderia ser o estopim para algo maior e mesmo que no final, o autor tenha nos mostrado isso, finalizei Não Fale com Estranhos sentindo que muita coisa faltou na obra, seja a conexão que o leitor deveria sentir com os personagens, seja a falta de ação, que foi apenas apresentada no final, mas de modo tão acelerado que passou num piscar de olhos, quanto a dinâmica do próprio enredo. Conforme os capítulos foram passando, minha única certeza era que o enredo estava dando voltas no mesmo lugar, vários pontos, personagens e até cenas do cotidiano estavam deixando a leitura muito maçante, o autor se pegou no esquema de atrasar a conclusão da trama, de tentar esconder o máximo que podia os mistérios, mas que para mim acabou se tornando mais um ponto negativa do que positivo.


Como a narrativa é feita em terceira pessoa, sendo focada não apenas em Adam, mas em outros personagens, sendo eles ou não ligados ao Estranho, alguns pontos acabaram sendo até desnecessários na narrativa, mesmo que fosse para criar uma atmosfera tensa, deixar ganchos para atrair a curiosidade, sinceramente não foi o que aconteceu, pois fez com que o enredo tornasse uma lentidão prejudicial. Eu queria compreender o motivo de Corinne, o que a levou a mentir e a razão do seu desaparecimento, mas confesso que toda vez que o rumo da história voltava a ser em Adam e sua “vida”, eu começa a perder o interesse, afinal muita coisa poderia ter sido enxugada na história para deixar a leitura mais agitada, com mais ação e adrenalina, foi destes elementos que senti falta em Não Fale com Estranhos, o mistério apresentado é bom, mas a forma como foi conduzido não me agradou e talvez por conta da alta expectativa, a leitura acabou não sendo exatamente o que eu esperava.

No entanto, Não Fale com Estranhos não é uma obra de todo ruim, a escrita de Harlan é boa e flui muito bem, os momentos finais são recheados de tensão, que deixa o leitor grudado no livro e por mais que alguns aspectos da obra não tenham-me agradado, ainda recomendo a leitura. Quanto ao trabalho editorial, a Arqueiro nos apresenta uma edição ótima, com diagramação e revisão boas. As folhas são amareladas e a fonte escolhida, confortável para leitura. Sem mais, Não Fale com Estranhos foi uma obra interessante, apesar de alguns aspectos terem ficado a desejar, mesmo não me envolvendo totalmente com a leitura ou personagens, o mistério da trama foi bom e o desfecho apesar de ter sido acelerado, foi o que mais me surpreendeu, já que o autor equilíbrio as revelações, com a ação e dinâmica que faltou no inicio da história.

7 comentários:

  1. Ainda não li este livro, mas levei em consideração todos os pontos não muito positivos que você apontou e tenho certeza de que você está coberta de razão, eu costumo perder a empolgação quando um autor passa a lançar um livro atrás do outro...acho que eles ficam meio esgotados...

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Sammy.

    Até o momento eu li apenas um livro do Harlan Coben. O livro Não conte a ninguém e gostei bastante dele. Eu estou com muita vontade de ler esta história porque a sinopse chamou atenção. Agora, você comentou que achou o enredo com o ritmo um pouco lento, talvez a escrita do autor seja assim mesmo, para dar uma reviravolta quase no final e conseguir prender o leitor até a última página. Vou tentar comprar este livro logo para conhecer a história inteira.

    Bjos
    Histórias Existem Para Serem Contadas

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sammy!
    Gosto muito do Harlan, apesar de ter lido poucos livros dele.
    Coloquei Não Fale com Estranhos na minha lista para esse ano, mas já tinha visto outras pessoas comentarem que sobre o ritmo da narrativa mesmo... e confesso que estou deixando a leitura dele para depois... mas concordo com você, quando um autor começa a publicar livro atrás de livro eles perdem um pouco o fôlego nas narrativas... e a conexão com o leitor, que é tão importante. Quando eu finalmente ler, volto aqui pra comentar de novo hehehe
    Bjus, Vitória

    ResponderExcluir
  4. Poxa, que pena saber que essa história empacou em alguns momentos. Eu adoro a escrita do autor, e quero muito ler mais livros dele, então mesmo assim vou querer ler esse lançamento.
    Gostei da trama, e realmente é bom saber que tenho que ir com mais calma na leitura. Mas já sei que também vou me irritar para querer saber respostas... :(
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Sammy li dois livros do Harlan e nos dois eu não consegui me conectar com o personagem principal, só gostei do mistério mesmo. Talvez isso seja uma característica do autor, personagens principais não muito legais rs ou a gente que é chata kkkkk Até pensei em pedir esse livro mas ainda bem que deixei pra lá, acho que a minha opinião ia ser igual a sua.

    ResponderExcluir
  6. Oi Sammy!
    Quem tá lendo esse livro é a minha colunista e ela comentou que esse livro é bem diferente dos livros que ela já leu do Harlan. Não está achando ruim, mas notou uma diferença. Vou esperar ela ler pra me falar o que achou.
    Eu não li nada dele, mas tenho dois livros aqui que pretendo ler um dia. hahahaha Faz até vergonha, afinal eu sou mega fã de livros policiais e ele é um dos nomes mais bem comentados.
    De vez em quando tenho esse problema com personagens. Gosto da história mas não consigo me sentir ligada ao personagem por uma série de motivos (mas em geral é pq eu os acho chatos - hahaha). Que bom que não foi uma leitura ruim e deu para aproveitar. ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Sammy. É horrível quando a narrativa é arrastada, principalmente em livros do gênero. Já li alguns livros do Harlan e apenas um deles me decepcionou.
    A história me chamou bastante a atenção, e mesmo com os pontos negativos citados, eu daria uma chance ao livro.

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!