Resenha: As Faces da Luz - Tatiane Durães

14/11/2016


Edição: 2
Editora: Editora Arwen
ISBN: 9788568255322
Ano: 2015
Páginas: 470
Skoob
Avaliação: 
Onde Comprar: Loja Arwen

Sinopse: Ao ser forçada a atravessar um portal por um imenso lobo, Tayara se depara com um mundo que jamais imaginara, e elfos e bruxas passam a fazer parte de sua realidade. Mas o que ela não sabe é que seu destino fora traçado muito antes de seu nascimento.
Agora ela terá que escolher entre a razão e o coração, pois ao se apaixonar por um elfo, descobre que uma forte maldição a prende a ele.
Uma aventura repleta de magia e descobertas, se inicia.

Escrever uma resenha, sempre é um desafio e tanto, muitas vezes não sabemos como inicia-la, como expor tudo o que sentimos e principalmente como expor a crítica sem que fique com aquela impressão de estarmos sendo muito cruéis. Afinal, sabemos o quanto o livro é importante ao escritor, o quanto batalhou para que a sua obra fosse visada, no entanto, eu acredito que as críticas, estejam por um único motivo, ajudar o autor é madurecer as ideias, a elevar seu texto e lapidar o que pode ser melhorado e que será o caso desta resenha. Eu queria sim ter gostado e aproveitado mais de As Faces da Luz, pois sei que a autora tem potencial, li Desejo e Honra da Tatiane Durães e apesar de ter ressalvas na resenha, Desejo e Honra foi uma boa leitura e se comprar com As Faces da Luz, percebo que houve evolução na escrita da Tatiane e isso é bem perceptível, pois As Faces da Luz é seu primeiro livro e que agora ganhou uma nova edição pela editora Arwen.

Antes de começar a apontar minhas críticas, quero deixar claro um ponto, a versão que li, era a independente, a que estava na Amazon um tempo atrás, não sei se nesse meio tempo, houve uma lapidação do texto, algo que precisa em minha opinião, por tanto, essa resenha é sobre a versão antiga antes que fosse publicado pela Arwen, deixando isso claro, quero reforçar que sim, tanto a autora, quanto a história da Trilogia Arcantatys tem potencial, o enredo é criativo, apesar de possuir alguns clichês próprio do romance e da fantasia, mas em suma, a trama da jovem Tayara é rica em magia, seres mágicos e elementos característicos de obras épicas, com aquele toque mais moderno do gênero, no entanto, faltou uma profundidade maior no desenvolvimento, mesmo tendo uma descrição muitas vezes minuciosa, o que deixou a narrativa lenta na maioria dos capítulos, ainda senti falta de algo mais marcante, de um desenvolvimento mais maduro e surpreendente, principalmente em relação aos personagens.

Não consegui me afeiçoar a nenhum dos principais personagens de As Faces da Luz, Tayara foi a que mais me incomodou, sua personalidade as vezes mimada, egoísta e até birrenta, não me convenceu, faltou simpatia para que o leitor pudesse se convencer de suas atitudes, principalmente em relação a Aodh, que é outro personagem que não me agradou, seu jeito arrogante, destaca-se mais do que a beleza endeusada que Tayara tenta nos convencer, bem, boa parte dos interesses românticos da jovem sempre são destacados as partes físicas e em como são lindos, algo que como já mencionei em outras resenhas, não é do meu agrado, gosto quando um romance se dá aos poucos, vai surgindo pelo que a pessoa é e não pelo seu físico, talvez por isso mesmo o romance em As Faces da Luz tenha sido um dos pontos que mais me desapontou, Tayara deixa-se levar muito pela aparência e sua súbita paixão por Aodh, depois o interesse por Ariosto e Regan, mesmo que nesses dois foi bem uma paixonite, não me convenceu nem um pouco.

Até compreendo o motivo da relação entre Tayara e Aodh, já que houve uma maldição imposta pela bruxa que a jovem foi em uma vida passada, por tanto é até compreensivo a rapidez do envolvimento da jovem com o elfo, só que infelizmente não simpatizei e não acreditei que após a retirada da maldição Tayara e Aodh fossem ter um sentimento verdadeiro, afinal, como descrevi acima, a falta de profundidade foi um fator primordial que fez com que minha leitura não fosse totalmente positiva.

Demorou um bom tempo para que o enredo fluísse um pouco melhor para mim, mas ainda sim, infelizmente As Faces da Luz não me conquistou totalmente. O desfecho desse primeiro livro, abre um gancho legal para o volume dois e deixa o leitor curioso, até porque, mesmo que esta introdução da série não tenha sido como o esperado, As Faces da Luz tem muito a crescer, digo isso pelo fato de que já vemos um bom amadurecimento na escrita de Tatiane em Desejo e Honra. A narrativa é feita principalmente em primeira pessoa, em sua maior parte por Tayara, há algumas repetições de frases, palavras e ações, que poderiam ter sido substituídas para dar uma riqueza maior ao texto, além de deixar a leitura mais fluída e envolvente, por mais que não tenha sido uma leitura cem por cento satisfatória para mim, aconselho a cada um tirar suas próprias conclusões, afinal, mesmo com as ressalvas descritas nesta resenha, As Faces da Luz tem pontos legais a oferecer e pode te agradar, pois a leitura é diferente para cada leitor.

Um comentário:

  1. Uma pena que este primeiro livro não te conquistou :(
    Estava louca para ler, mas algumas resenhas que li falam a mesma coisa.
    A capa deste livro é um trabalho sensacional.
    Beijos,
    Juliana.
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!