Mini-Resenha: A Mariposa no Espelho - A. G. Howard

19/05/2017


Título: A Mariposa no Espelho | Autor (a): A. G. Howard | Editora: Novo Conceito | Páginas: 52 | Skoob  | Onde Comprar: Amazon

Avaliação: ★★★

Sinopse: Os fantásticos acontecimentos de O Lado Mais Sombrio se desenvolvem de maneira surpreendente no conto A Mariposa no Espelho, narrado a partir do ponto de vista de Jeb e Morfeu.
Desejando saber mais sobre aquele com quem disputa o amor de Alyssa, Morfeu mergulha fundo nas memórias de Jeb enquanto este permanece preso no País das Maravilhas. Mas o enigmático Morfeu pode encontrar algo com o que não contava.
Nessa nova perspectiva da releitura dark e muito intrigante de Alice no País das Maravilhas, você terá uma amostra deliciosa do que está por vir em Atrás do Espelho.

Antes de iniciar a leitura de Atrás do Espelho segundo livro da série Splintered, decidi ler o conto A mariposa no espelho que traz um pouco da disputa de Morfeu e Jeb pelo coração de Alyssa. Neste enredo, Morfeu decide entrar nas memórias de Jeb para encontrar seus pontos fracos e usar contra o jovem, para que deste modo Alyssa perca a confiança e segurança que tem em Jeb. Eu já esperava que este conto fosse focar mais nos sentimos de Jeb pela protagonista do que mostrar algo a mais sobre Morfeu, mas o que encontramos de fato é quase uma tentativa da autora deixar Jeb mais grandioso, mais heroico e apaixonante... Sem dúvidas vemos a força do sentimentos dele por Alyssa, só que não deu, não me convenceu. 

Desde o primeiro livro, O lado mais sombrio, Jeb não me conquistou, o personagem não demonstrou carisma e de fato não deu para simpatizar com o romance e o triângulo amoroso do livro e aqui neste conto novamente temos esse empasse, mas de uma maneira um tanto frustrante. A todo momento percebemos que a intenção era deixar que os sentimentos de Jeb sejam apenas o correto e verdadeiro  na história e para Alyssa, e que a obsessão de Morfeu seria sua ruína, sinceramente não gostei de como Morfeu foi retratado no conto,  como um vilão obcecado pela mulher que não o quer... Morfeu é o único personagem que não me fez desistir da série e vê-lo retratado assim foi desapontador...

No entanto este não é o único ponto que preciso ressaltar sobre o conto, mesmo com a leitura fluida o enredo é um tanto confuso, a ideia em si de revelar mais sobre Jeb (me desculpem mas esse conto para mim é mais a respeito de Jeb e seus sentimentos do que mostrar uma nova faceta do Morfeu) é interessante mas não foi totalmente do meu agrado, deixou um gostinho legal para o segundo livro que espero ser superior ao primeiro, mas se formos analisar este conto chega até ser um pouco dispensável, não vi muita soma para a história do que já não foi descrito em O lado mais sombrio.  

Antes de finalizar quero falar da diagrama do conto, a editora Novo Conceito arrasou, ficou lindo de mais, a parte interna do livro digital me deixou sem palavras. Sem mais, A mariposa no espelho é uma leitura mais para entretenimento do que agregação para a série, mas leia apenas após a leitura de O lado mais sombrio

Um comentário:

  1. Te amo, sério! Senti a mesma coisa lendo, a autora querendo convencer que Jeb era digno, não que ele não seja honrado e tals, mas ela não cnseguiu me convencer. Acredito que a autora esperava consertar a falta de empatia que os leitores sentiram por Jeb, em detrimento do amor que todos sentiram por Morfeu, mas como você disse não deu certo. Fui ler minha resenha agora para recordar o que achei melhor, e realmente pelo visto senti que Morfeu foi totalmente descaracterizado, e Jeb parece ainda mais sonso. Fiquei revoltada pelo visto! Se quiser da uma olhada lá Sammy: http://blogliterata.blogspot.com.br/2014/09/resenha-mariposa-no-espelho-g-howard.html

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!