Resenha: O Órfão de Hitler - Paul Dowswell - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: O Órfão de Hitler - Paul Dowswell

Resenha: O Órfão de Hitler - Paul Dowswell

26/07/2017


Título: O Órfão de Hitler | Autor (a): Paul Dowswell | Editora: Planeta do Brasil | Páginas: 272Skoob.

Onde comprar: Amazon | Casas Bahia.

Avaliação: 

Sinopse: Piotr é um menino polonês quando os nazistas invadem seu país e matam seus pais. Seu destino parece traçado: viver num orfanato, sendo depois oferecido para trabalho escravo. Mas seus olhos azuis, seu cabelo loiro e sua pele clara fazem dele um exemplo da raça pura, um modelo para a Juventude Hitlerista. Então, os alemães o entregam a uma família nazista. Só que Piotr, que nunca deixa de se sentir estrangeiro junto a sua nova família, começa a formar seus próprios conceitos sobre o que vê e o que lhe é dito. Ele não quer ser um nazista. E então assume um risco – o mais perigoso que poderia escolher na Berlim de 1942. Vencedor de seis prêmios e finalista de outros dezesseis, este romance de Paul Dowswell parte de uma pesquisa meticulosa para uma narrativa cheia de reviravoltas, trazendo à tona um ângulo diferente dos horrores da Alemanha nazista.

Cortesia em parceria com a editora. 

Peter Bruck, antigamente chamado de Piotr, é um menino polonês que perde seus pais em meio a guerra e vai parar num orfanato. De lá, soldados alemães pegam os meninos e os classificam de acordo com sua aparência, para saber se esses jovens merecem ou não ser reintegrados à Alemanha. Peter é o exemplo da raça pura procurada por Hitler e logo não só é levado para a Alemanha como é adotado por uma família em Berlim. Os Kaltenbach, sua nova família, são exemplo de alemães fieis ao pensamento nacional-socialista e não esperam menos de Peter, que agora tem que se adequar a rotina e costumes de um jovem alemão e tentar a todo modo seguir os preceitos ditados por seu líder. Só que o coração de Peter não é tomado pelas severas leis e aceitar tudo o que acontece na Alemanha acaba se tornando um fardo. 

O Órfão de Hitler é um livro que recebe avaliações muito positivas e a minha não fugirá a regra, porém, não me senti tão entusiasmada como todos os outros leitores. É um livro extremamente interessante e que nos mostra uma nova perspectiva da 2° Guerra Mundial. Não somos bombardeados com informações sobre os campos de concentração ou o sofrimento dos judeus, nem acompanhamos a inúmeras batalhas travadas ou as experiências malignas que forem feitas. Assim como Piotr/Peter, nós recebemos as informações da Guerra de acordo com a visão do Governo, somos cidadãos comuns seguindo seu líder e acreditando naquilo que nos é fornecido. 

Por conta disso, o livro se destaca em meio a tantos outros por seu enfoque diferente. Aqui, o autor mostra o cidadão alemão comum que é pego no meio de uma guerra que não queria tanto assim. Vemos as pessoas fanáticas e que acham que isso tudo é para o melhor e vemos aqueles que mantem um pé atrás com tudo isso, que não foram envenenados com o discurso nazista e ainda tem bons corações. Aqui, mesmo que seja uma ficção, o leitor pode ter a certeza que nem todos daquele país eram maus e que muitos ajudaram os menos afortunados, muitas vezes arriscando suas próprias vidas. A Gestapo, os oficiais e todo o resto, também maltrataram seu próprio povo na busca pela "pureza" do país. 

Ainda assim, o livro carece de um pouco de ação até mais ou menos perto do final, quando finalmente temos momentos de tensão e apreensão. O começo é particularmente lento e desestimulante, sendo assim, achei o livro bem arrastado e não consegui me ver envolvida pela história. A narrativa é feita em 3° pessoa e pelo menos isso ajuda. O final é de certa forma, aberto e fechado ao mesmo tempo, mas eu, particularmente, senti a necessidade de mais alguma coisa, mais alguma explicação.  

Ainda que tenha achado um pouco massante, é uma boa leitura para quem gosta do assunto, principalmente por esse novo olhar. A 2° Guerra Mundial foi muito complexa e tem muitos lados para se examinar, e o autor acerta em trazer essa nova faceta, principalmente por se basear em acontecimento reais para criar sua história. 

Nathalia Simião

Escrito por:

Nath Amante de livros, obviamente. Seu maior sonho é conhecer a banda Linkin Park e descobrir uma coisa interessante pra escrever aqui.

5 comentários:

  1. Gosto muito de histórias com a 2 guerra mundial como pano de fundo.
    Eu não conhecia essa obra e mesmo vc sentindo ser um pouco massante, fiquei com vontade de ler e conhecer o desfecho <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nathalia!!
    Que pena que o livro é um pouco maçante, mas que mesmo assim vale a pena ler!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha ! Parece ser um bom livro <3

    ResponderExcluir
  4. Nathalia, gostei da sua resenha. Você sempre tão sincera e leal a quem lê o blog. É por isso que estou sempre ligado no que é publicado por aqui. São poucos blogs como este que realmente resenham preocupados em compartilhar boas dicas literárias com os leitores. De resto, os blogs muitas vezes preferem agradar editoras, e vocês não. Vocês são sinceros, isso é o grande barato. Por isso adoro esse blog, demais!

    Dieison, Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir
  5. E a primeira vez que me deparo com este livro, achei a ideia interessante, de mostra a segunda guerra mundial, por um outras perspectiva, onde vemos como as pessoas eram fanático, e outras que não gostavam desta atrocidade. Uma pena que a trama tenha se desenvolvido de maneira tão lenta e cansativa, mas acredito que vale a pena da uma chance.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!