Resenha: Três Coroas Negras - Kendare Blake - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: Três Coroas Negras - Kendare Blake

Resenha: Três Coroas Negras - Kendare Blake

07/08/2017


Titulo: Três Coroas Negras | Autor(a): Kendare Blake | Editora: Globo Alt | Páginas: 304 | Skoob.

Onde Comprar: Amazon |  Saraiva.

Avaliação: ★★

Sinopse: Três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões.
Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder: é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa.

Durante a Maratona literária de inverno surgiu a leitura coletiva de um livro que estava muito ansiosa para conhecer: Três Coroas Negras da autora Kendare Blake. Então porque não unir o útil ao agradável? Optei pela leitura digital do livro e estava bastante empolgada, afinal a premissa do livro é muito interessante, prometia uma fantasia com mulheres fortes, ação e magia. No entanto encontramos algo um pouquinho diferente disto. 

Apesar do plano de fundo em volta das Rainhas e da luta pelo poder, ambos são ofuscados por uma narrativa rasa e completamente confusa, apenas o desfecho trouxe algo surpreendente e interessante ao enredo, deixando um gostinho de quero mais. Só que infelizmente Três Coroas Negras peca em seu ritmo lento, personagens pouco cativantes e romances enjoativos... Há muitos personagens ao longo da história, todos tem papéis importante e Kendare tanta dar um espaço a cada um ao mesmo tempo em que foca nas protagonista tornando assim boa parte da história sem um rumo concreto até que se aproxime do ponto central que é a disputa de Mirabella, Katharine e Arsinoe, só que não espere uma batalha cheia de ação, muito pelo contrário é mais uma apresentação de talentos ou melhor dons do que uma luta sangrenta, talvez a verdadeira ação seja apresentada nos próximos volumes. 

Claro que para uma história juvenil era esperado um romance, mas em Três Coroas Negras não funciona de um modo legal, é forçado, instantâneo e muitas vezes sem sentido, entendo que o motivo que levou certos personagens a terem um “romance” foi por conta de uma consequência de magia, mas a ênfase que foi imposta não me agradou muito e o triângulo amoroso firmado piorou tudo. É neste ponto que entra a questão das personagens femininas de Kendare, nenhuma delas é cativante, são extremamente fracas e pouco chamativas, a única que se destaca é a Mirabella, as demais incluindo as outras rainhas são pouco simpáticas, passam pouca parte de suas narrativas reclamando o quanto são inferiores a Mirabella. Jules sem dúvidas é a pior, sonsa e sem sal, uma personagem até desnecessária em vários momentos, que está ali só por conta do triângulo amoroso, mas ao invés de se tocar ela insiste em uma relação com um cara que não quer mais nada com ela... 

Quanto aos mocinhos, nem sei se posso chamá-los assim, nenhum deles é dignos de atenção, Joseph até se destaca um pouco mais devido ao rumo que toma a narrativa, mas não pense que é um personagem apaixonante pois está longe disto. Talvez o maior problema de Três Coroas Negras tenha sido o fato de passar uma ideia errada de personagens femininas fortes, pois nenhuma delas são, basta aparecer um dos mocinhos e pronto, viram todas bobas apaixonadas, sinceramente já deu esse estereótipos de heroínas, não consigo gostar, não quando não é bem trabalhado o romance...

Mas apesar desses pontos, Kendare Blake consegue manter seu leitor na história, sem dúvidas ela sabe como incluir um bom gancho nos capítulos e sua escrita é gostosa, apenas faltou um pouco mais de amadurecimento na história e desenvolvimento. Se quero continuar a série? Sim, pois o final foi sensacional, se o enredo não fosse tão enrolado e mais ágil com certeza teria me conquistado mais, só que um detalhe no desfecho deixou está leitora muito curiosa e ainda esperançosa de que os próximos livros serão muito melhores. 

Sammysam Rosa

Escrito por:

Sammy. 29 anos, casada e apaixonada por livros. Gosto de literatura policial, suspense e terror. Típica pisciana, sonhadora e curiosa.

2 comentários:

  1. Oi, Sammy!
    Também estou bem curiosa com relação a essa estória, mas infelizmente essa não é a primeira resenha que acha esse livro um pouco enrolado, mas mesmo assim ainda desejo ler essa estória, e quem sabe sua continuação não é melhor?!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  2. Acredito que a premissa da estória em si e envolvente, mas a forma como a autora optou por desenvolve-la, e possível notar que não foi tão concreta, já que muitos acontecimentos não fizeram sentido. Não esperava que esta e uma trama juvenil, com romances aleatórios, e triângulos amoroso, espera algo mas maduro, enfim, ainda sim pretendo ler esta obra.


    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!