Janeiro 2018 - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Janeiro 2018

Resenha: Anne de Green Gables - Lucy Maud Montgomery

31/01/2018


Título: Anne de Green Gables | Autor (a): Lucy Maud Montgomery | Editora: Pedrazul | Páginas: 236 | Skoob.

Onde comprar: Amazon | Loja Editora Pedrazul

Sinopse: Tudo parecia confortável demais na vida dos irmãos Matthew e Marilla Cuthbert, mas o coração de Matthew começou a dar sinais de que a idade lhe havia chegado. Decidiram, não antes sem muita ponderação, adotar um menino, de uns onze anos, para que pudesse receber educação apropriada e ser o ajudante de Matthew. Mas, a mão da Providência já havia agido na vida deles, e através de um erro de comunicação, uma menina ruiva, tagarela e sardenta ocupou o lugar do menino. Anne, assim que chegou a Green Gables, fica sabendo do engano, mas com sua imaginação fértil e conversa afiada, já havia conquistado o coração de Matthew. E assim começa a história de suas aventuras fascinantes, com sua “amiga do peito” Diana, e sua competição com o inteligente e perspicaz Gilbert Blyhte. À medida que Anne foi aceita em Green Gables, ela conquista também a admiração de toda a cidade de Avonlea e o encanto do seu mundo de sonho e imaginação se espalha e vai contagiar você também.

Cortesia em parceria com a editora.

Com uma narrativa fascinante, Anne de Green Gables cativa o seu leitor desde o primeiro instante, assim como sua protagonista este livro é um doce, cheio de sentimentos e delicadeza. Anne é uma jovem simpática, cheia de imaginação e bastante entusiasmada, seu jeito meigo conquista todos de Avonlea, uma história divertida, encantadora, difícil não falar de Anne de Green Gables e não encher esse livro de elogios pois a obra é uma gostosura de ler, aquele típico livro que te deixa com um sorriso bobo no rosto! 

Anne despertou minha curiosidade principalmente por conta não apenas da série inspirada no próprio livro, como também ao ser indicada em uma das séries de maiores sucessos da Netflix, mas depois de ficar encantada com Anne na literatura estou doida para ver a série e torço para que tenham deixado a personalidade da menina como que é descrita por Lucy Maud Montgomery pois é exatamente esse temperamento alegre e contagiante de Anne, além de seu dom em se meter em altas confusões que a torna tão especial! 

Anne de Green Gables é um clássico canadense que tem todas as características que um leitor procura em uma boa história, fica impossível pensar nesse livro e não lembrar da espirituosa heroína, com língua afiada e imaginação a flor da pele, Anne me fez rir em diversos momentos, uma personagem forte e mesmo que ela se sobressaia na narrativa ainda tem a espaço para os personagens secundários, Diana a amiga fiel, Marilla e Matthew os irmãos que adotaram Anne e tantos outros personagens possuem papel fundamental na vida da jovem ruiva. 

A narrativa em terceira pessoa nos dá uma boa perspectiva de toda Avonlea, como não querer viver em um lugar tão mágico, cheio de flores, riachos e florestas? Sem dúvidas entendo o motivo de Anne ficar tão inspirada para imaginar tanto! Claro que Avonlea jamais seria a mesma sem essas adorável figura! É difícil o personagem principal me conquistar tanto e não é apenas por Anne ser uma criança tão doce, há algo de especial nela que nos faz ama-la tanto! Estou contente de ter lido este livro, um clássico maravilhoso, uma leitura linda, envolvente na medida certa e cativante que fica difícil largar antes do final!  

Catálogo da Pedrazul Editora com desconto

30/01/2018


Não deixe para última hora: Livros da Pedrazul Editora com preços ótimos! Para quem gosta de um bom romance de época ou histórico fica a dica! Olha só alguns títulos em promoção:

Resenha: Harry Potter e a Pedra Filosofal - J. K. Rowling

29/01/2018


Título: Harry Potter e a Pedra Filosofal | Autor (a): J.K. Rowling | Editora: Rocco | Páginas: 223 | Skoob.

Onde comprar: Amazon.

Sinopse: "Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver, lembre-se." - Alvo Dumbledore
A vida do menino Harry Potter não tem um pingo de magia. Ele vive com os tios e o primo, que não gostam nem um pouco dele. O quarto de Harry é, na verdade, um armário sob a escada, e ele nunca comemorou um aniversário sequer em onze anos.
Até que, um dia, Harry recebe uma carta misteriosa, entregue por uma coruja: um convite para estudar num lugar incrível chamado Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Lá ele vai encontrar não só amigos, esportes praticados em vassouras voadoras e magia para todo lado, como também seu destino, que espera por ele desde que nasceu... Se ele sobreviver a tudo que esta descobrindo, é claro.

Pode até parecer estranho mas esta foi a primeira vez que eu li Harry Potter e a Pedra Filosofal. Adoro mundo bruxo, mas antes de 2017 eu não havia lido os dois primeiros livros da série. Quando Harry Potter teve seu auge no Brasil eu acabei começando a leitura pelo terceiro volume pois havia visto os primeiros filmes e na época eu não julguei necessário ler os primeiros livros (olha as ideias!). No entanto com o desafio das Literamigas fiquei incentivada a mudar e finalmente ler certinho essa tão amada série do mundo bruxo. 

Só que havia um porém, eu estava com medo de ler Harry Potter e a Pedra Filosofal, com receio de que com este passar dos anos eu talvez não fosse gostar da leitura, afinal normalmente quando crescemos muita coisa que acreditávamos gostar tanto já não tem o mesmo impacto, os gostos e opiniões acabam mudando bastante, por tanto esse era meu medo: E se eu ler e não gostar? 

Pode parecer algo trivial mas eu estava pensando nessa possibilidade e principalmente no fato de que talvez eu já não fosse mais o tipo de leitora para este livro, mas felizmente minhas dúvidas não tinham tanto fundamento! Logo nas primeiras páginas todo receio foi embora e outra vez me lembrei da emoção e motivos que me fizeram gostar tanto da série Harry Potter. A magia estava ali e todos os personagens tão queridos me cativaram novamente, J. K. Rowling tem uma maneira única e singular de envolver seu leitor na narrativa, não importa a idade, Harry Potter sempre irá emocionar cada leitor, seja aqueles que cresceram acompanhando o bruxinho (e já são adultos) como os mais jovens. 

A satisfação de ler este livro pela primeira vez foi surreal, apaixonante e desta vez irei continuar a série direito para finalmente dizer que: Eu li Harry Potter! Um aspecto que pude notar é que não importa o tempo que se passe, este livro vai te fazer sorrir, vai te emocionar e te proporcionar uma leitura maravilhosa, cheia de magia, mistério e aventura, uma sensação tão gostosa que conseguimos compreender o motivo deste livro e sua série ter marcado toda uma geração de leitores!

Desafio: 12 Clássicos para 2018

26/01/2018


Eu adoro um desafio literário e hoje vou apresentar para vocês o: Desafio 12 Clássicos para 2018! Criado pelo blog O Diário do Leitor, este desafio consiste em ler um clássico por mês, uma meta bem legal para quem quer se aventurar em histórias diferentes! No momento escolhi apenas um livro:


Sinopse: Tudo parecia confortável demais na vida dos irmãos Matthew e Marilla Cuthbert, mas o coração de Matthew começou a dar sinais de que a idade lhe havia chegado. Decidiram, não antes sem muita ponderação, adotar um menino, de uns onze anos, para que pudesse receber educação apropriada e ser o ajudante de Matthew. Mas, a mão da Providência já havia agido na vida deles, e através de um erro de comunicação, uma menina ruiva, tagarela e sardenta ocupou o lugar do menino. Anne, assim que chegou a Green Gables, fica sabendo do engano, mas com sua imaginação fértil e conversa afiada, já havia conquistado o coração de Matthew. E assim começa a história de suas aventuras fascinantes, com sua “amiga do peito” Diana, e sua competição com o inteligente e perspicaz Gilbert Blyhte. À medida que Anne foi aceita em Green Gables, ela conquista também a admiração de toda a cidade de Avonlea e o encanto do seu mundo de sonho e imaginação se espalha e vai contagiar você também.


Conforme eu for escolhendo os demais livros mostrei no blog e no Instagram! Aceito recomendações!

Vamos ao cinema? O Rei do Show

22/01/2018


Se tem uma coisa que nunca fui fã (até uns tempos atrás) era dos musicais, nunca tive muita paciência para música, mas com um marido músico você acaba conhecendo muita coisa e abrindo espaço para algo que você jamais considerou que poderia gostar! Mas o maior empurrão com certeza foi assistir os musicais no teatro (não pensem que teatro é algo tão caro, tem espetáculos com bons preços), eu fiquei apaixonada depois de ver Cantando na Chuva e Os Miseráveis, e assim que vi o trailer de O Rei do Show logo veio o pensamento: Vai ser como os musicais do teatro! 

Claro que ir ao cinema e ao teatro são duas coisas diferentes, mas eu estava muito animada para ver O Rei do Show, quase perdi a oportunidade já que o filme estava um tempo nos cinemas, não me arrependi um minuto de ter escolhido esse filme como o primeiro de 2918! Um espetáculo incrível! Personagens cativantes, ótimos atores e efeitos lindos! Sai do cinema com um sorriso no rosto! 

A história é baseada na vida se P.T. Barnum, deram uma boa enfeitada e romantizada na vida do showman, afinal quem iria se o filme contasse quem realmente ele era? Não vou entrar em detalhes sobre o Barnum real pois o intuito do post é indicar um ótimo que vai encantar a todos. Enfim, no caso do filme vemos a criação, por assim dizer do circo dos horrores, com direito a mulher barbada, anão e por aí vai, é um filme que fala muito de empatia, amor e sonhos, um show sem dúvidas e que  conta com um elenco de peso! 

Para quem quer fugir um pouco da mesmice, O Rei do Show será um prato cheio, um filme que pode surpreender muito e claro te fazer ficar louco para cantar e dançar (as músicas são contagiantes)! Filme emocionante, que te prende do início ao fim, só tenho vontade de voltar ao cinema e assistir novamente! 


Data de lançamento: 28 de dezembro de 2017 (Brasil)
Direção: Michael Gracey
Música composta por: John Debney, Joseph Trapanese
Sinopse: P. T. Barnum, um showman que tem uma tendência natural de enganar seu público, decide montar um circo na esperança de ficar famoso. Durante sua saga há ainda uma importante questão pendente em sua vida, uma paixão cega pela cantora Jenny Lind.


Mini-Resenha: Barba Azul - Charles Perrault

19/01/2018


Título: Barba Azul | Autor (a): Charles Perrault | Editora: Wish | Páginas: 11 | Skoob.

Onde comprar: Amazon

Sinopse: Barba Azul era um rico aristocrata, assustador por ser muito feio, com uma horrível barba azul. Ele já havia se casado três vezes, mas ninguém sabia o que tinha acontecido com as esposas, que desapareceram.

Como de costume sempre começo o ano com desafios literários e não podia deixar de participar da Maratona Literária de Verão que este ano ficou conhecida como #JornadaMLV (ideia sensacional que você pode conferir aqui), como é de praxe tem algumas metas durante a maratona e por ter escolhido o Reino de Arcania um desses desafios é ler um conto (O favor do Rei). 

Dentre os inúmeros contos disponíveis na Amazon optei por Barba Azul de Charles Perrault, publicado na plataforma pela Editora Wish. Tenho que ressaltar que a diagramação no ebook é ótima e gostei do fato da editora ter mantido as ilustrações também na versão digital, este conto foi publicado na versão física no livro Contos de Fadas Original, a proposta é mostrar as versões dos contos na forma como foram escritos, cruéis, sangrento e por aí vai. Eu já tinha lido A Amendoeira e gostei muito, por isso optei por outro conto de fadas para concluir o desafio O Favor do Rei. 

Bem, sabem aquele velho ditado: A curiosidade matou o gato? Basicamente é essa a versão em frase desse conto. Não me levem a mal, a história tem um fundo interessante e você pode ler em poucos minutos, mas eu esperava bem mais visto que A Amendoeira é tão legal. Barba Azul entretém só não cativa ou te deixa surpreso, é um conto interessante a seu modo mas fiquei com a sensação de que faltou muito para me cativar. Claro é bom para conhecemos o estilo original de um conto de fadas, mas infelizmente Barba Azul não envolve e mesmo com sua lição de que a curiosidade pode ser mortal fica apenas por isso mesmo, há muitas pontas soltas e pouca explicação, entendo que um conto não precisa explicar tudo até porque é uma história curta, só que faltou muito para este conto em particular fosse bom. 

Resenha: Panelaterapia, Receitas para aproveitar o feriado -Tatiana Romano

17/01/2018


Título: Panelaterapia | Sub-Título: Receitas para aproveitar o feriado | Autor (a): Tatiana Romano | Editora: Belas-Letras | Páginas: 128 | Skoob.

Onde comprar: Amazon | Saraiva.

Sinopse: O feriado finalmente chegou! Hora de chamar os amigos ou a família – ou, melhor ainda, os dois – para aquelas pausas que fazem a diferença na nossa vida, cada vez mais cheia de compromissos, agitada e estressada. Receitas especialmente criadas pela blogueira Tatiana Romano, inspiradas nos principais feriados – Carnaval, Páscoa, Festas Juninas e Festas de Fim de Ano – para você viver momentos deliciosos com as pessoas que mais ama.

Cortesia em parceria com a editora.

Lançamento da editora Belas-Letras caiu como uma luva no final de 2017 e casou com as datas mais esperadas do ano passado: Natal e Ano Novo. Panelaterapia - Receitas para aproveitar o feriado como o próprio subtítulo diz é um livro com receitas para quem quer alegrar o feriado com uma boa refeição. Se você ainda não conhece o Panelaterapia é comandado pela Tatiana Romano, um site incrível recheado de dicas e claro receitas culinárias. Até o momento temos três livros para nos deliciarmos com as mais variadas receitas e este nova obra não é apenas um presente incrível mas também uma boa oportunidade para aflorar os seus dotes culinários. 


Contendo receitas para Carnaval, Páscoa, Festa Junina e Festas de fim de ano este livro ainda possui uma parte exclusiva para anotações. Com ilustrações das mais variadas receitas que o compõe o livro, ele é um deleite para os nostálgicos que cresceram vendo os cadernos de receitas na casa da avó, tia ou mãe e foi isto que mais gostei, o cuidado de deixar a obra com esse aspecto mais antigo, mágico e mesmo assim moderno, ou seja é uma obra que vai encantar a todos. Além da capa ser dura, a parte interna do Panelaterapia - Receitas para aproveitar o feriado é bem bonita, a Editora Belas-Letras caprichou na diagramação. 


Claro que eu não poderia deixar de fazer uma das receitas do livro! Escolhi o Bolo de Frutas e Nozes que o pessoal em casa apelidou de bolotone e bolo de Natal, foi um sucesso, todos gostaram e me divertir muito preparando a receita. Por fim, Panelaterapia - Receitas para aproveitar o feriado é um livro lindo e com certeza irei usar mais vezes pois as receitas são ótimas e bem explicadas, fáceis para quem quer fazer uma comidinha diferente e gostosa para aproveitar as festas com quem ama. 

Super Promoção de livros da Pedrazul Editora

16/01/2018


Dica imperdivel para quem quer completar sua coleção de clássicos Pedrazul! Vários títulos a partir de R$ 9,90! Mas corre que é por tempo limitado! Olha só alguns títulos em promoção:

Resenha: A Passagem - Justin Cronin

15/01/2018


Título: A Passagem | Autor (a): Justin Cronin | Editora: Arqueiro | Páginas: 816 | Skoob.

Onde comprar: Amazon | Saraiva.

Sinopse: Primeiro, o imprevisível: a quebra de segurança em uma instalação secreta do governo norte-americano põe à solta um grupo de condenados à morte usados em um experimento militar. Infectados com um vírus modificado em laboratório que lhes dá incrível força, extraordinária capacidade de regeneração e hipersensibilidade à luz, tiveram os últimos traços de humanidade substituídos por um comportamento animalesco e uma insaciável sede de sangue. Depois, o inimaginável: ao escurecer, o caos e a carnificina se instalam, e o nascer do dia seguinte revela um país – talvez um planeta – que nunca mais será o mesmo. A cada noite, a população humana se reduz e cresce o número de pessoas contaminadas pelo vírus assustador. Tudo o que resta aos poucos sobreviventes é uma longa luta em uma paisagem marcada pelo medo da escuridão, da morte e de algo ainda pior. Enquanto a humanidade se torna presa do predador criado por ela mesma, o agente Brad Wolgast, do FBI, tenta proteger Amy, uma órfã de 6 anos e a única criança usada no malfadado experimento que deu início ao apocalipse. Mas, para Amy, esse é apenas o começo de uma longa jornada – através de décadas e milhares de quilômetros – até o lugar e o tempo em que deverá pôr fim ao que jamais deveria ter começado. A passagem é um suspense implacável, uma alegoria da luta humana diante de uma catástrofe sem precedentes. Da destruição da sociedade que conhecemos aos esforços de reconstruí-la na nova ordem que se instaura, do confronto entre o bem e o mal ao questionamento interno de cada personagem, pessoas comuns são levadas a feitos extraordinários, enfrentando seus maiores medos em um mundo que recende a morte. 

Fazia séculos que eu queria ler esse livro, desde seu lançamento, e isso já faz um tempinho, e eis que a Editora Arqueiro resolveu lançar o terceiro livro e resolvi solicitar o primeiro para ler, bora ver o que eu achei.

No começo do livro, temos algumas histórias em paralelo, onde confesso que acabei me confundindo um pouco, pois não imaginava que seria assim, mas não se preocupem tudo começa a se encaixar direitinho.

Na história vamos ter vampiros (amo, eles até que brilham, mas não como certo vampiro famoso por ai) e claro temos também um tipo de zumbi, ou seja, um livro com tudo que amo em histórias e claro que isso foi uma leitura muito boa, apesar de o tamanho do livro assustar um pouco, e ainda pesar, li somente em casa, mas vale muito a pena a leitura.

Tudo é inserido como uma infecção em uma excursão, que algumas pessoas foram para o meio do mato, literalmente, e lá alguma coisa aconteceu, que eles começaram a morrer e os que não morreram, tiveram um tipo de mutação.

Conforme a leitura foi avançando a história tem um pulo de tempo de 100 anos, em mundo pós-apocalíptico, onde as pessoas são obrigadas a morar atrás de muros altos, para que tenham uma certa proteção contra os Virais, ou seja, ninguém tem muito contato com o mundo exterior por medo de ser infectado ou morto.

Sinceramente, depois do susto pelo tamanho do livro, vale muito a pena ler esse livro, fazia muito tempo que eu não lia histórias onde continham vampiros que realmente me faziam gostar do livro, e esse me conquistou do começo ao final, claro que já quero muito ler o segundo livro e podemos ficar felizes pois a trilogia está completa, e assim podemos ler sem a preocupação de quando teremos a continuação.

Livro 5 estrelas e favoritado com certeza, agora bora ver no que vai dar o segundo livro, muito ansiosa para saber dos acontecimentos depois do final de A Passagem. 

Saldo Literário: Dezembro

14/01/2018


Perdeu alguma atualização do blog em Dezembro? Então confira agora o resumo de tudo que rolou no Diae no mês passado!

Resenha: Perfume de Fogo - Thais Lopes

12/01/2018


Título: Perfume de Fogo | Autor (a): Thais Lopes | Editora: Senhor da Lenda | Páginas: 179 | Skoob.

Onde comprar: Amazon.

Sinopse: A única coisa que Larissa quer é continuar vivendo sua vida sem chamar a atenção de ninguém. Depois de seis anos fugindo, se esconder já é algo natural. Mas tudo vai por água abaixo quando ela dá de cara com um híbrido na sua casa. Rastrear quem matou a alma gêmea de Samuel é o tipo de coisa que pode colocar Larissa no caminho das bruxas – justamente as pessoas de quem ela se esconde. E Samuel ser o híbrido mais forte que ela já conheceu só piora a situação. Mas, querendo ou não, ela não tem a opção de voltar atrás. Bruxas e híbridos estão em uma guerra silenciosa há séculos. Novos conflitos não são uma novidade. Porém, quando os demônios se envolvem, o preço de qualquer confronto pode se tornar alto demais. E, presa no meio de tudo o que está acontecendo, Larissa tem três escolhas: ajudar seus inimigos, se aliar aos seus adversários ou trair quem salvou sua vida.

Cortesia em parceria com a autora.

Queria começar esta resenhar soltando um palavrão daqueles, afinal o desfecho de Perfume de Fogo te deixa tão animado por mais de Larissa, Samuel, Lúcio e companhia que quando você percebe acabou e já soltou aquele palavrão bonito porque queria mais! Perfume de Fogo é uma história tão intensa, envolvente que te revolta quando chega ao fim, simplesmente pelo fato de querer mais e mais desta jornada tão incrível nas ruas de BH!

Esta é a terceira obra que leio da Thaís, Perfume de Fogo é bem diferente do estilo de escrita que acompanhamos em Nilue ou em Tempestade, cada um dos três têm seu charme único que encanta a medida que vamos lendo, eu estava tão concentrada na leitura que nem reparei que tinha chegado ao final, só queria mais aventuras de Larissa, ainda mais depois da bombásticas revelação no final da história! Perfume de Fogo nos traz um enredo em que os seres que apenas conhecemos nos livros, séries e filmes são reais e estão bem ao nosso lado. 

Bruxas, demônios, lobisomens e muitas outras criaturas marcam presença em Perfume de Fogo e um fato que gostei bastante é que muitos deles são híbridos, não apenas junção de raças, mas criados, em Perfume de Fogo seres como os lobisomens foram criados pelas bruxas na guerra contra os vampiros! A criatividade presente nesta história é sensacional, algo que eu já esperava pois Nilue é incrível e Perfume de Fogo mesmo que tão diferente é tão bom quanto! 

Com pouco mais de cem páginas Perfume de Fogo é uma leitura mais do que recomendada para quem busca fantasia urbana, com toque de ação, romance, aventura e magia. Cada gancho na história te deixa sedento por mais é por isso mesmo quando o fim chega o leitor se sente sedento de uma continuação, fora o grande leque de possibilidades que temos no desfecho! O passado de Larissa e como foi feita sua condição de híbrida é um dos pontos que me deixou muito curiosa, temos uma explicação sobre isso na narrativa, mas confesso que eu queria mais pois é algo com tamanha profundidade que dá uma abertura bem legal para futuras história ou continuações, claro que saber mais de Samuel e os demônios de Perfume de Fogo também é uma boa, quem diria que seres tão maus pudessem ser tão cativantes? Somente em Perfumes de Fogo você poderá entender o motivo! Saiba que ao decidir ler essa história não irá desgrudar do Kindle tão cedo! 

Perfume de Fogo também faz parte do ebook Nas Sombras das cidades que reuni histórias de fantasia urbana e romance paranormal, não é segredo que agora fiquei louca para ler os demais não é? Enfim, Thais Lopes traz ao seu leitor uma obra ótima, com personagens cativantes, fortes e uma história que agradará bastante quem procura uma leitura bem diferente das convencionais e se você quer uma história com uma protagonista marcante aposte em Perfume de Fogo pois Larissa é exatamente tudo que você precisa!

Resenha: Por Um Toque de Magia - Carolina Munhóz

10/01/2018


Título: Por Um Toque de Magia | Autor (a): Carolina Munhóz | Editora: Fantástica Rocco | Páginas: 272 | Skoob.

Onde comprar: Amazon | Americanas.

Sinopse: Depois de Por um toque de ouro, em que Emily O’Connell, herdeira de um império fashion, descobre ter o dom da sorte e fazer parte de uma rara linhagem Leprechaun, e Por um toque de sorte, em que é levada para o centro de um esquema perigoso e cruel por alguém que está se apropriando de seu dom, a jovem protagonista da Trindade Leprechaun, trilogia de fantasia contemporânea inspirada nas lendas irlandesas, luta para recuperar o que é seu em Por um toque de magia. E enquanto retoma o controle sobre seu próprio destino, Emily acaba se apaixonando, no emocionante desfecho da série, repleto de fantasia e romance.

Resenha publicada originalmente no blog Memento Mori, em que fui convidada para resenhar este livro.

Cortesia em parceria com a editora.

Finalmente o desfecho da Trindade Leprechaun, o final do arco-íris de Emily e sua empreitada que começou em Por um toque de ouro. No entanto é desanimador concluir que infelizmente essa série não funcionou comigo e que assim como aconteceu nos primeiros livros a minha opinião acabou sendo a mesma em Por um toque de magia.

Normalmente notamos uma evolução em qualquer história que tenha mais de um livro, o autor amadurece, sua escrita fica melhor e por aí vai, mas infelizmente não foi o que não tem nesta trilogia, os mesmos problemas e ressalvas que descrevi nas outras resenhas continuam presente neste último livro, não temos um crescimento no enredo ou na escrita da autora, não sentimos um desenvolvimento ou aprofundamento na história como um todo e terminamos a trilogia com um gosto um tanto amargo...

Fico até um pouco triste por não ter tido uma leitura satisfatória com a trilogia, a ideia central da trama realmente é interessante, assim como frisei nas outras resenhas mas há tantos pontos pouco satisfatórios que deixaram a série pouco a desejar, se tornando tediosa e sem emoção. A narrativa até tem ganchos legais que atiçam a curiosidade do leitor, mas pouco consegue se sustentar para que a série realmente te cative... Os personagens continuam carecendo de simpatia e muitas ações de Emily acaba incomodando ao longo do livro, não há espaço para sentirmos empatia pela protagonista e isto se remete a todos os personagens, nem mesmo os vilões conseguem nos convencer e infelizmente o romance é tão pouco convincente que sinceramente não entendo essas súbitas relações de Emily, tudo acontece rápido, termina num instante e logo ela está com outro...

Mesmo a leitura sendo rápida, pois a escrita de Carolina Munhóz continua fluida, o que temos é narrativa simples, sem se aprofundar, além de repetitiva. Chegou em um determinado momento em que a futilidade e o egoísmo de Emily me incomodou tanto que por pouco não abandonei a leitura, fora o aspecto típico da escrita da autora em ficar repetindo os aspectos físicos dos personagens para distingui-los ao invés de seus nomes na história, algo que desde o primeiro livro é usado e que acaba cansando e deixando a leitura enfadonha, os termos socialite, ruiva, americano, britânico e até mesmo uso constante do sobrenome dos personagens era tão recorrente que a história se tornou monótona e cansativa.

Eu já esperava que Por um toque de magia não fosse diferente dos seus antecessores, pois não há uma mudança significativa no desenvolvimento do enredo, mas esperava um pouco mais. Por um toque de magia não é o melhor livro da trilogia, na verdade os três têm o mesmo aspecto que fica um pouco difícil dizer se algum se sobressai seja para melhor ou pior... Enfim, a Trindade Leprechaun é uma série com altos e baixos mas que infelizmente não se destaca ou marca o leitor, mas recomendo que cada um tire suas próprias conclusões.

Noticiário Literário: Lançamentos

09/01/2018


Sinopse: Cansado de uma guerra cruel na América, Ross Poldark retorna para sua terra e sua família. Mas o alegre retorno que ele esperava torna-se amargo, pois seu pai havia morrido, sua propriedade estava abandonada, e a garota que ele amava estava noiva de seu primo. Porém, sua compaixão pelos mineradores e rendeiros desamparados do distrito o leva a resgatar uma faminta mocinha de rua que estava brigando em uma feira, um ato que altera todo o curso de sua vida. Ross Poldark é o primeiro romance da incrível saga de Winston Graham sobre a vida na Cornualha do século dezoito. Publicado pela primeira vez em 1945, a série Poldark tem cativado leitores por mais de setenta anos. Agora, é uma série atual, transmitida em horário nobre, pela BBC de Londres.

Compre  | Skoob.


Sinopse: Íris é uma atleta medalhista que sofre uma drástica mudança em sua vida depois que um acidente a deixa paralisada da cintura para baixo. Isso não tira sua vontade de continuar competindo como nadadora profissional, agora pelos Jogos Paralímpicos. Certo dia, com saudades do mar, ela arrisca algumas braçadas e é pega desprevenida por uma tempestade que não se anunciou, tragando-a para o fundo do oceano. O impensável acontece e Íris imagina ver um homem-peixe resgatando-a antes de perder a consciência. Ao despertar em uma ilha paradisíaca, um belo homem é sua única companhia, e, milagrosamente, suas pernas voltam a se mexer. No entanto, a moça não sabe onde está e o lindo estranho não se mostra disposto a ajudá-la a partir. A convivência com o deus grego fará a recordista paralímpica descobrir que faz parte de um conto de fadas que não acabou bem, tornando-a prisioneira de um passado que desconhecia.



Sinopse: Criada em uma fazenda no interior do Rio de Janeiro, Fabiana teve um casamento arranjado, no qual não viveu nada daquilo que sonhou para si. Pouco depois de se mudar para a capital, a jovem viúva vê a chance de recomeçar sua vida, literalmente, através da janela de seu novo apartamento, pela qual assiste a uma tórrida cena de sexo, protagonizada por dois homens. Desperta como uma mulher completamente nova e disposta a descobrir mais sobre si mesma e os novos desejos de seu corpo, cruza com os dois lindos desconhecidos no condomínio onde moram.
Eduardo é um ginecologista safado, que não perde a oportunidade de ficar com quem tiver vontade, e lhe mostrará todas as maneiras que eles podem aproveitar o tempo juntos. Já Fernando, um psicólogo fofo que a conhece por acaso na praia em frente ao prédio, fará com que seus sentimentos oscilem entre desejo e amizade.
Como pessoas muito diferentes que são, Fabiana, Eduardo e Fernando se envolverão em uma relação complicada e intensa, cheia de paixão e reviravoltas, que trará à tona o melhor e o pior de cada um. Vocês estão prontos para conhecer esse trio?
Inspirados na ideia original de Gracielle Rattes, três escritores brasileiros, que são referência no gênero erótico, desconstroem conceitos e derrubam tabus nessa obra que vai envolver cada leitor, da primeira à última página.

Compre  | Skoob.


Sinopse: A única coisa que Larissa quer é continuar vivendo sua vida sem chamar a atenção de ninguém. Depois de seis anos fugindo, se esconder já é algo natural. Mas tudo vai por água abaixo quando ela dá de cara com um híbrido na sua casa.
Rastrear quem matou a alma gêmea de Samuel é o tipo de coisa que pode colocar Larissa no caminho das bruxas – justamente as pessoas de quem ela se esconde. E Samuel ser o híbrido mais forte que ela já conheceu só piora a situação. Mas, querendo ou não, ela não tem a opção de voltar atrás.
Bruxas e híbridos estão em uma guerra silenciosa há séculos. Novos conflitos não são uma novidade. Porém, quando os demônios se envolvem, o preço de qualquer confronto pode se tornar alto demais.
E, presa no meio de tudo o que está acontecendo, Larissa tem três escolhas: ajudar seus inimigos, se aliar aos seus adversários ou trair quem salvou sua vida.

Compre  | Skoob.

Resenha: Quando Saturno Voltar - Laura Conrado

08/01/2018


Título: Quando Saturno Voltar | Autor (a): Laura Conrado | Editora: Globo Livros | Páginas: 248 | Skoob.

Onde comprar: Amazon, Submarino.

Sinopse: Conta história envolvente e divertida sobre aceitar mudanças inesperadas e seguir em busca da felicidade. Em seu novo romance, Laura Conrado conta a história de Déborah Zolini, uma jornalista sonhadora e fã de Pablo Neruda que trabalha como assessora de imprensa de um clube de futebol da segunda divisão e namora o médico Sérgio há quatro anos. Ela faz planos de construir uma vida a dois, arrumar um emprego melhor e correr atrás de desejos que ainda não realizou. Só que a vida, ou as estrelas, guardam surpresas para Déborah. Em uma viagem ao Chile, ela encontra uma mulher misteriosa que lhe fala sobre o retorno de Saturno. O planeta, que leva, em média, 29 anos para dar uma volta no sistema solar, voltará à posição em que se encontrava quando a jornalista nasceu. Para quem acredita em astrologia, esse é momento em que as pessoas passam por várias mudanças, que vão prepará-las para encarar o resto de sua vida. Déborah não leva a moça muito a sério, mas pede às estrelas que a ajudem a realizar seus desejos. No entanto, no voo de volta ao Brasil, um encontro inesperado começa a abalar a vida aparentemente certinha da protagonista. Aos poucos, Déborah começa a notar que seu namoro anda meio morno, a falta de reconhecimento no trabalho a incomoda. Ela começa a admitir que não está gostando do rumo que as coisas estão tomando. Será a hora de partir para novos desafios? Trocar aquele relacionamento confortável pelo frio na barriga? Sair de vez da zona de conforto e ver o que acontece?

Vamos conhecer Débora uma assessora de impressa de um clube da série B de Belo Horizonte, onde ela mora, o Taes, sua vida é estável, namora há quatro anos Sergio, um residente de medicina, que se dão muito bem, ou pelo menos era o que ela pensava.

Em um dia ela está em Santiago no Chile com a equipe de Taes, e ela resolve comemorar demais e acaba dormindo em uma espreguiçadeira de piscina, quando às três horas da manhã uma mulher muito simpática que trabalha no hotel a acorda e começa a ler sua mão e diz que muitas coisas vão mudar e que ela vai fazer as malas e encontrar um amor.

Débora fica com aquilo na cabeça, ela acredita muito em destino e provavelmente no que Saphira, a mulher simpática fala, mas como ela já está namorando e um namoro bem estável, as vezes ela pensa que estável até demais, pois tudo se torna muito monótono, mas isso ela so vê muito tempo depois.

Um livro leve e com a leitura rápida e que flui muito bem, leitura de uma tarde gostosa de sol para se divertir um pouco, gostei do livro, com uma linguagem bem simples e fácil de entender, acredito que seja do gênero chick-lit, que não tenho tanto costume assim de ler, por ser tudo muito previsível, mas confesso que esse me pegou de um jeito que não consegui parar de ler até chegar ao seu final e que para mim não foi tão previsível assim e gostei bastante da história.

Gostei de Débora, uma mulher comemorando seus 29 anos, mas que quer algo mais na vida, que acha que seu emprego de assessora do Taes já deu tudo o que tinha que dar, mas que não tem a coragem de sair do seu emprego estável para ter outro ou não. Ela também gosta muito de seu namoro com Sérgio, mas como ele fazendo residência e tendo que ir para São Paulo as coisas não estão tão legais assim para os dois, principalmente porque ele coloca sua melhor amiga Silvinha em primeiro lugar em tudo, ela é sua confidente para mais parece sua namorada do que a própria Débora.

Mas nem tudo é tão monótono na vida de Débora, na sua viagem de Santiago de volta para BH, ela acaba conhecendo um moreno tudo de bom chamado Henrique, que conheceu no avião e com quem acabou dividindo um táxi para casa.

Esse cara pode ser a vida que ela sonha, mas será que ela largaria seu namoro de 4 anos para ficar com um completo desconhecido? Já que eles começam a conversar por Wathsaap e marcam de se encontrar em um restaurante para poderem se conhecer melhor.

Tudo começa a mudar na vida de Débora depois de conhecer o lindo moreno Henrique em seu voo para casa, mas ela não sabe se a mudança é bem vinda ou não, se ela quer mudar ou quer continuar na mesma, então o livro conta a indecisão ou não de Débora para ficar com Henrique e deixar seu namoro ou ficar com Sergio e deixar aquele lindo moreno ir embora de sua vida.

Vocês devem estar se perguntando porque o livro chama Quando Saturno Voltar, é isso que a mulher Saphira conta para Débora que quando Saturno volta, mais ou menos em 28 e 29 anos, muita coisa pode mudar na sua vida (estou esperando isso acontecer na minha, já que passei dessa idade e não vi Saturno nenhum) e que ele pode trazer mudanças boas quanto não tão boas assim, mas que vale a pena assim mesmo.

Como fazia muito tempo que não dava a chance de um livro desse gênero, acabei gostando muito e recomendo sua leitura para quem assim como eu quer uma leitura leve e gostosa, que em um dia mesmo consegue ler.

Top 3: Fotos do #DesafioMinhaEstante - Dezembro/17

07/01/2018


O Desafio Minha Estante de Dezembro proporcionou lindas fotos e fechou 2017 maravilhosamente! Mais uma vez foi muito difícil escolher apenas três! Eu e a Nath estamos muito felizes com as participações de vocês e vale lembrar que o #desafiominhaestante de Janeiro começou! Confira agora as fotos que mais gostei do tema de Dezembro! Não deixe de visitar o Pobre Leitora para conferir as escolhas da Nath!

Resenha: A Garota Sem Passado - Michael Kardos

04/01/2018


Título: A Garota Sem Passado | Autor (a): Michael Kardos | Editora: Arqueiro | Páginas: 304 | Skoob.

Onde comprar: Amazon, Submarino.

Sinopse: Num domingo de setembro de 1991, Ramsey Miller deu uma festa em casa para os vizinhos. Depois, assassinou a esposa e a filha de 3 anos. Todo mundo na pacata cidade de Silver Bay conhece a história.
Só que todos estão errados. A menina escapou. Sob o nome falso de Melanie Denison, ela passou os últimos quinze anos escondida com os tios numa cidadezinha remota. Nunca pôde viajar, ir a uma festa na escola ou ter internet em casa, porque Ramsey jamais foi encontrado e poderia ir atrás dela a qualquer momento.
Mas, apesar das rígidas regras de segurança impostas pelos tios, Melanie se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela decide que seu filho não terá a mesma vida clandestina que ela e, para isso, volta a Silver Bay para fazer o que nem os investigadores locais, nem a polícia federal, nem o FBI conseguiram: encontrar seu pai antes que ele a encontre.

Melanie está com 17 anos, e seu passado é desconhecido até por ela mesma, existem muitas lacunas que ela não consegue preencher e saber o que realmente aconteceu com ela, o que ela sabe é que seu pai Ramsey Miller em uma noite, deu uma festa para toda a vizinhança e depois matou sua mãe e assim ela foi morar com seu tio Wayne e sua tia Kendra, que agora são sua família.

Eles sempre moraram escondidos de tudo e de todos, mal ela podia ir para a escola, e agora Melanie quer cursar a faculdade, mas não pode ser longe de casa, pois seus tios têm medo do que possa acontecer com ela, já que seu pai ainda está por ai e pode muito bem estar procurando ela para terminar o serviço que começou no passado.

O livro começa com uma postagem de um homem blogueiro, Arthur Goodale, um antigo repórter que está no hospital entre a vida e a morte, mas que ainda lembra do caso Miller e que sabe que está fazendo 15 anos, ele gostaria de ver o caso encerrado e com o culpado preso, mas ninguém sabe onde Ramsey está e se sua filha Meg está viva ou não.

O livro é um suspense policial, onde vemos como Melanie vive, sempre com medo de que seu pai resolva aparecer e o que pode acontecer caso ela viva normalmente sua vida, sem estar sempre escondida, ela tem um namorado que seus tios nem sabe que existe, e mais do que nunca agora ela quer viver sem ter a preocupação de sempre estar com medo.

O livro é bem rápido de ser lido, eu li em três noites, gostei muito do mistério todo que envolve a história, um bom livro policial onde temos o provável assassino que está foragido e que nunca ninguém conseguiu achar.

O livro se passa entre passado e presente, no passado com Ramsey Miller narrando os acontecimentos e porque tudo aconteceu daquele jeito na festa em que ele e sua mulher resolveram dar em um domingo para todos os seus vizinhos, e temos o presente, narrado por Melanie, onde ela tenta entender tudo o que está acontecendo e o que aconteceu antes na sua vida.

Não consegui prever o que iria acontecer, o livro é bom mesmo, que só imaginei o que poderia ser praticamente acabando o livro e tendo a resposta. Gostei muito de todo o enredo, da procura por Ramsey, da vida chata que Melanie tem, e de tudo o que acontece para que o caso seja finalmente resolvido ou não.

Encontrei alguns errinhos de revisão mas nada que vá prejudicar a leitura, a diagramação está ótima e a Arqueiro está de parabéns pela livro.

Se você gosta de um bom livro policial, recomendo e muito a leitura desse livro, vai gostar tanto quanto eu e com certeza vai tentar descobrir o que acontecer com a vida de uma pequena criança, que agora é uma adolescente vivendo sempre refugiada pelo medo e a desconfiança.

Resenha: Não me abandone jamais - Kazuo Ishiguro

03/01/2018


Título: Não me abandone jamais | Autor (a): Kazuo Ishiguro | Editora: Companhia das Letras | Páginas: 344 | Skoob.

Onde comprar: Amazon, Americanas.

Sinopse: Kathy, Tommy e Ruth são clones criados para doar órgãos. Tendo esse cenário de ficção científica por pano de fundo, e o triângulo amoroso como gancho, Kazuo Ishiguro fala de perda, de solidão e da sensação que às vezes temos de já ser "tarde demais". Finalista do Man Booker Prize 2005.Kathy H. tem 31 anos e está prestes a encerrar sua carreira de "cuidadora". Enquanto isso, ela relembra o tempo que passou em Hailsham, um internato inglês que dá grande ênfase às atividades artísticas e conta, entre várias outras amenidades, com bosques, um lago povoado de marrecos, uma horta e gramados impecavelmente aparados. No entanto esse internato idílico esconde uma terrível verdade: todos os "alunos" de Hailsham são clones, produzidos com a única finalidade de servir de peças de reposição. Assim que atingirem a idade adulta, e depois de cumprido um período como cuidadores, todos terão o mesmo destino - doar seus órgãos até "concluir". Embora à primeira vista pareça pertencer ao terreno da ficção científica, o livro de Ishiguro lança mão desses "doadores", em tudo e por tudo idênticos a nós, para falar da existência. Pela voz ingênua e contida de Kathy, somos conduzidos até o terreno pantanoso da solidão e da desilusão onde, vez por outra, nos sentimos prestes a atolar.

Cortesia em parceria com editora.

Esse é um daqueles livros que me deixou com uma pulga atrás da orelha. Será que é chato assim mesmo ou fui eu que não entendi o que o autor queria passar? Não me abandone jamais tem tudo pra ser uma história que toca e emociona, e assim o faz com a maioria dos leitores, mas comigo...

O livro é narrado em primeira pessoa por Kathy, uma cuidadora que está prestes a terminar sua função e virar uma doadora. O livro começa nesta época, e antes da personagem enfim cumprir sua função no mundo, ela irá refletir sobre todos esses anos passados, sobre a sua vida e tudo o que houve. Basicamente é um livro de memórias. Somos transportados para os anos da infância, adolescência e vida adulta de Kathy, num vai e vem com o presente que sinceramente me incomodou bastante. Talvez, essas lembranças e a narrativa em primeira pessoa tenham sido o conjunto "perfeito" pra me fazer empurrar o livro com a barriga. Kathy não é um personagem cativante, muito menos seus amigos, Tommy e Ruth, e foi difícil criar alguma simpatia e ligação com a mesma.

A história com um potencial gigantesco, principalmente pelo plano que usa para trazer reflexão: clones são criados unicamente para doar órgãos vitais. A premissa por si só é extremamente interessante, e como curiosa nestes assuntos da ficção científica, eu acharia o máximo se o autor tivesse focado neste processo. Acho que o efeito de choque de realidade, reflexão e sentimentos seriam o mesmo e até melhores. O que temos durante o enredo são pistas de como tudo funciona, pistas essas que chegam através das lembranças e divagações de Kathy, que também sabe muitíssimo pouco. Na verdade, a sensação que tive ao chegar ao fim da história, é que não entendemos direito o processo de clones e doações, assim como a personagem também não.

O autor usa dessa premissa (que pra mim é bem viável) para falar sobre solidão, dos sentimentos, injustiça e humanização. É bem claro durante todo o livro a reflexão que ele nos traz, e afirmo que é muito importante. É um livro que demora a ser lido por conta de sua bagagem emocional (e pela narrativa lenta) e que demonstra que foi criado com todo o cuidado do mundo. Prende a atenção sim, te deixa curioso sim, mas é aquela coisa, não funcionou comigo.

A edição é ao mesmo tempo simples e belíssima. A beirada das folhas é prateada assim como a capa, o que dá um charme a mais ao livro. Sei que existe um filme baseado na obra e procurarei assistir para fazer comparações. Indico o livro sim, apesar de sair desgostosa ao término dele. Normalmente, acho que é minha falta de paciência com histórias assim que causam meu desanimo.

Subir