Resenha: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro - Amanda Lovelace - Da imaginação à escrita Da imaginação à escrita: Resenha: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro - Amanda Lovelace

Resenha: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro - Amanda Lovelace

21/09/2018



Título: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro | Autor(a): Amanda Lovelace | Páginas: 208 | Editora: LeYa Brasil | Skoob


Onde Comprar: Amazon

Sinopse: Aqueles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, "A princesa salva a si mesma neste livro", cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima. Agora, em "A bruxa não vai para a fogueira neste livro", ela conclama a união das mulheres contra as mais variadas formas de violência e opressão. Ao lado de Rupi Kaur, de "Outros jeitos de usar a boca" e "O que o sol faz com as flores", Amanda é hoje um dos grandes nomes da nova poesia que surgiu nas redes sociais e, com linguagem direta e temática contemporânea, ganhou as ruas. Seu "A bruxa não vai para a fogueira neste livro" é mais do que uma obra escrita por uma mulher, sobre mulheres e para mulheres: trata-se de uma mensagem de ser humano para ser humano – um tijolo na construção de um mundo mais justo e igualitário.
Cortesia em parceria com a editora

Um livro que em fez sair totalmente da zona de conforto, afinal não costumo ler poesias, e acabei sentindo muita vontade ler, pois vi muitas pessoas falando bem e porquê não ler algo diferente?
Aqui a autora Amanda Lovelace, nos traz poesias com o contexto feminista, não cheguei a ler o primeiro livro dela, comecei por esse, eu gostei das poesias, achei bem diferente, mas acho que aqui ela acaba colocando muito ódio pelos homens e não sei se todos os leitores vão gostar ou não.
Os poemas, falam sobre como é ser uma mulher em um mundo totalmente machista, de como não devemos aceitar ficar caladas, de não aceitar ser simplesmente estupradas e estar tudo bem como a nossa sociedade acaba impondo, como não aceitar a violência doméstica que muitas mulheres convivem com isso e claro, começar a se impor nesse mundo totalmente machista.
Acho válido o movimento feminista, mas acho também que não temos que ter tanto ódio assim dos homens, sei que muitos fazem o que querem e o que acham ser certos, mas também temos os que com certeza não são assim.
Os poemas são fortes, intensos, então se você se encontra em um momento delicado da sua vida, que pode ter relação com os assuntos que a autora aborda, acho que não é tão bom assim você ler o livro, pois pode desencadear uma série de conflitos internos com você mesma e claro, com quem você convive.
Para as mulheres que acabam sofrendo qualquer tipo de abuso, sempre procure ajuda, nunca se cale em qualquer situação que você esteja sendo vítima, não devemos simplesmente ficar caladas e deixar que essa sociedade continue nos julgando e achando que somos do sexo frágil.

"Eu aprecio:I. Cada pneuzinho.II. Cada cicatriz.III. Cada marca de acne.IV. Cada quilo extra.V. Cada estria.VI. Cada cabelo esquisito.VII. Cada celulitezinha.VIII. O único corpo que eu tenho.- coisas que ainda luto para dizer e tudo bem."

Camila Mazzetto

Escrito por:

Camila. Sua verdadeira paixão está nos livros, blogueira de coração, amo livros de suspense e terror, mas devoro o que tiver pela frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, leia com atenção:

Comentários ofensivos não serão aceitos.

Para que você seja retribuído, comente decentemente sobre a postagem, coloque o link do seu blog/site no final do seu comentário.

Comentários com Seguindo, segue de volta e afins, serão excluídos e não irei retribuir!

Críticas são sempre bem vindas, desde que construtivas.


Obrigada e volte sempre!

Subir